Porto Alegre, segunda-feira, 29 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 29 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

- Publicada em 03h00min, 29/03/2021.

Os efeitos da Covid-19 no PIB gaúcho

> O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul caiu 7% em 2020. Deste total, 4,3 pontos percentuais são ligados diretamente à pandemia. Os outros 2,7 pontos seria vinculados à estiagem.

> O Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul caiu 7% em 2020. Deste total, 4,3 pontos percentuais são ligados diretamente à pandemia. Os outros 2,7 pontos seria vinculados à estiagem.

> Na Indústria, os setores mais duramente afetados, por demanda retraída ou por problemas para operar as linhas de produção (como falta de matérias-primas), foram Móveis (-10,0%), Couros e calçados (-21,9%) e Veículos, reboques e carrocerias (-21,9%).

> Na área de serviços as maiores retrações foram nas categorias Outros serviços (-12%, o que inclui hotelaria e restaurantes) e comércio (5,4%).

> Dentro do comércio, que impactou diretamente na arrecadação de ICMS, as maiores reduções foram em Livros, jornais, revistas e papelaria (-34,4%), em Tecidos, vestuário e calçados (-28,8%), venda de veículos (-20,2%) e Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-18,8%).

> Com isso, além de não crescer o equivalente a inflação oficial de 2020 (4,52 %), o PIB do Estado encolheu de R$ 480,577 bilhões em 2019 para R$ 473,419 bilhões.

Comentários CORRIGIR TEXTO