Porto Alegre, segunda-feira, 29 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 29 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Responsabilidade Social

- Publicada em 03h00min, 29/03/2021.

Embalagens descartadas geram renda para famílias

Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis da Cavalhada (Ascat) recebe as coletas

Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis da Cavalhada (Ascat) recebe as coletas


/Divulgação/Agência Blaise
João Pedro Rodrigues
AEspecialista em medicamentos dermatológicos e experiente na produção de estudos e publicações científicas, a farmácia de manipulação Farmatec decidiu ampliar o seu leque de atividades. Desde fevereiro, a companhia farmacêutica de Porto Alegre tem arrecadado resíduos sólidos para doar à Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis da Cavalhada (Ascat) a fim de garantir a correta destinação dos materiais e ainda beneficiar a entidade, que desenvolve importante papel social na região.
AEspecialista em medicamentos dermatológicos e experiente na produção de estudos e publicações científicas, a farmácia de manipulação Farmatec decidiu ampliar o seu leque de atividades. Desde fevereiro, a companhia farmacêutica de Porto Alegre tem arrecadado resíduos sólidos para doar à Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis da Cavalhada (Ascat) a fim de garantir a correta destinação dos materiais e ainda beneficiar a entidade, que desenvolve importante papel social na região.
A iniciativa, que também conta com a participação da Associação do Voluntariado e da Solidariedade (Avesol), organização sem fins lucrativos que tem como objetivo fomentar ações que promovam as qualidades do ser humano através dos Direitos Humanos, do Voluntariado e da Economia Solidária, visa reciclar todos os resíduos sólidos produzidos pela empresa. Isso não quer dizer que a Farmatec só arrecade as embalagens produzidas por ela.
Diante da percepção acerca da quantidade de lixo produzida a cada dia, como embalagens de shampoo, de condicionador, de pasta de dente ou, até mesmo, jornais e revistas velhas, a empresa tem recebido materiais de diferentes origens.
"Tudo o que o cliente quiser mandar nós vamos arrecadar, porque a cooperativa depende de volume (de materiais)", explica a proprietária da Farmatec, Christine Prato. "Não precisa nem ser nosso cliente. Pode só trazer", complementa.
A proprietária conta que a ideia surgiu da vontade do grupo de ser mais representativo para o meio ambiente, questão que era reforçada também pelos clientes. "Nós produzimos uma quantidade gigantesca de medicamentos com embalagens que não permitem que as pessoas lavem e reutilizem", diz. "Muitas vezes, os clientes diziam que dava pena jogar fora ou que nós devíamos pensar em fazer projetos de reciclagem".
Antes da iniciativa, o descarte dos resíduos ficava por conta dos clientes, de forma que não havia um controle sobre a sua correta destinação. As embalagens, assim, iam normalmente para o lixo comum. Agora, no entanto, firmada a parceria com a Ascat através da Avesol, a Farmatec garante dois pontos positivos com a sua ação: a reciclagem de materiais e a ajuda à cooperativa. "Temos que pensar no nosso papel perante à sociedade e ao planeta", avalia Christine.
A Cooperativa Ascat é uma instituição localizada na zona sul da Capital que atua na gestão integrada de resíduos sólidos, fazendo a sua triagem, prensagem e comercialização. Por isso, quanto maior o volume de materiais obtidos, maior o faturamento, e, com cerca de 80% de sua mão de obra formada por mulheres, principalmente mães de família da região, a cooperativa tem grande importância na geração de renda local.
Para Luciano Menezes, que faz parte da área administrativa da cooperativa, iniciativas como esta são importantes não só pelo impacto ambiental e social gerado, mas, também, pela conscientização acerca do ecossistema da reciclagem, garantindo maior visibilidade para o trabalho da Ascat, e tudo que a envolve, como geração de empregos e renda. Menezes espera que, após o trabalho inicial, o projeto possa ser ampliado para que o efeito na região seja ainda maior. "Tudo vai depender do trabalho que nós vamos fazer com a Farmatec, mas acreditamos que nós vamos conseguir chegar nesse ponto", diz.
Enquanto isso, a companhia farmacêutica divulga a iniciativa através de seus canais nas redes sociais e por meio de folders de papel reciclado enviados nas tele entregas de seus produtos. Quem tiver interesse em ajudar pode levar as embalagens diretamente na sede da Farmatec, localizada na rua Coronel Vicente, 570, no Centro Histórico, ou, durante uma entrega, enviar através do motoboy.
A empresa está se responsabilizando pela divisão dos materiais e pela entrega para a Ascat, de modo que a cooperativa não tenha custos para a concretização do projeto. Toda a renda da operação será da cooperativa dos catadores, para que eles consigam ajudar cada vez mais os trabalhadores e a comunidade.
A empresa procura engajar os seus colaboradores, fornecedores e clientes para que o projeto tenha sucesso. "Quanto maior engajamento tivermos da sociedade, maior será o resultado que vamos ter", avalia a proprietária da Farmatec.
"Sabemos que para vivermos em um mundo melhor precisamos de colaboração, união e atitude. Esse é o nosso primeiro passo em 2021 para ajudarmos na construção de um mundo melhor", completa.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO