Porto Alegre, segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Responsabilidade Social

- Publicada em 03h00min, 22/02/2021.

Arquitetos ajudam profissionais de saúde

Nas unidades de saúde, recintos são preenchidos com móveis, eletrodomésticos e outros materiais

Nas unidades de saúde, recintos são preenchidos com móveis, eletrodomésticos e outros materiais


Arquitetos Voluntários/Divulgação/JC
Vinicius Appel
O visível cansaço dos profissionais de saúde que atuavam no combate à pandemia em outros países ao redor do mundo despertou na arquiteta Daniela Giffoni um desejo de ajudar, mas ela ainda não sabia o que, e nem como, fazer.
O visível cansaço dos profissionais de saúde que atuavam no combate à pandemia em outros países ao redor do mundo despertou na arquiteta Daniela Giffoni um desejo de ajudar, mas ela ainda não sabia o que, e nem como, fazer.
Percebendo que a Covid-19 estava se disseminando e que logo chegaria a Porto Alegre, Daniela decidiu criar um grupo com amigos e colegas de profissão para, juntos, realizarem uma força tarefa que pudesse beneficiar trabalhadores da linha de frente em hospitais, unidades de pronto atendimento e postos de saúde.
Focando na criação de ambientes que possam acolher e dar um suporte emocional àqueles que lutam diariamente para salvar vidas, o coletivo Arquitetos Voluntários desenvolve, dentro das unidades de saúde, locais como dormitórios, salas de lanche e espaços dedicados a diminuir a tensão causada pelo trabalho.
A idealizadora do coletivo explica que as construções variam conforme a necessidade do local atendido e informa que todos os recintos são preenchidos com móveis, eletrodomésticos e outros materiais que são recebidos pelos arquitetos através de doações.
Expressões artísticas também se fazem presentes nas construções, que ganham grafites e quadros, tornando as mais coloridas e as diferenciando do tradicional ambiente hospitalar. As paredes também recebem pintura com cores diferentes, mas tudo é feito de acordo com os protocolos das autoridades sanitárias.
Nascido da disposição em ajudar os profissionais que enfrentam a pandemia, o projeto realizou sua primeira ação em março de 2020. Para que isso fosse possível, o grupo entrou em contato com um hospital de Porto Alegre e ofereceu ajuda. A instituição logo aceitou a oferta e abriu suas portas para receber o ato de solidariedade.
Após 45 dias de trabalho, um refeitório e um local para repouso e descompressão foram construídos. Juntos totalizavam 300 m² e estavam prontos para serem utilizados. Ao finalizar a primeira construção, o grupo percebeu que poderia ajudar mais unidades de saúde. "A gente sabia que, como arquitetos, poderíamos melhorar as condições de trabalho dos profissionais", afirma Daniela.
Foi seguindo este pensamento que o Arquitetos Voluntários atingiu a marca de 16 hospitais e postos de saúde atendidos no ano de 2020. Ao longo dos primeiros nove meses de atividade, as ações do projeto beneficiaram unidades de saúde nas cidades de Canoas, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Porto Alegre. Neste ano, seis ações já estão em andamento, sendo cinco na capital e uma em Viamão.
Atualmente o projeto conta com a dedicação de 80 arquitetos. Daniela explica que, para cada atendimento, eles se dividem em grupos coordenados por profissionais da arquitetura. Estes, por sua vez, convidam outros colegas de profissão para ingressarem nas equipes durante as ações, aumentando assim o alcance da associação e incentivando mais pessoas a entrarem para o voluntariado.
Analisando o potencial do Arquitetos Voluntários ao unir pessoas com um mesmo propósito, os integrantes do grupo decidiram pela formalização do coletivo em uma associação sem fins lucrativos. O processo foi encaminhado ao cartório e aguarda a oficialização, que deve ocorrer até março, mês em que a primeira construção do projeto completa um ano.
Apesar do nome, o grupo não conta apenas com arquitetos. Fotógrafos, jornalistas e advogados são alguns dos profissionais que integram a associação e que não cobram pelos serviços prestados.
De acordo com Daniela, o objetivo para este ano é fazer parte de projetos sociais que possibilitem ajudar mais pessoas. Aumentar a quantidade de voluntários, ampliar as ações para um maior número de cidades e beneficiar instituições de outras áreas, como educação, também fazem parte dos planos.
Para que o projeto possa se desenvolver, a arquiteta afirma que todo auxílio é necessário. "A gente depende de doações para poder seguir em frente", conclui Daniela.

Saiba como contribuir

O Arquitetos Voluntários precisa de produtos como colchões, eletrodomésticos, luminárias, e móveis. Objetos novos e usados são aceitos, desde que em bom estado. O projeto se responsabiliza por buscar as doações.
Interessados em doar ou em fazer parte do grupo como voluntário devem entrar em contato através dos seguintes canais:
(51) 999625587 - Daniela Giffoni
A associação também aceita contribuições por meio de uma vaquinha virtual, que pode ser acessada através do link vaka.me/1497998.
Comentários CORRIGIR TEXTO