Porto Alegre, segunda-feira, 11 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 11 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Responsabilidade Social

- Publicada em 03h00min, 11/01/2021.

Tênis nas praças busca popularizar esporte

Crianças de 6 a 12 anos participam do projeto Massificação Maria Esther Bueno, do IRTB

Crianças de 6 a 12 anos participam do projeto Massificação Maria Esther Bueno, do IRTB


JOYCE ROCHA/JC
João Pedro Rodrigues
Desde novembro, crianças de 6 a 12 anos das mais variadas regiões de Porto Alegre possuem um espaço público e gratuito no bairro Moinhos de Vento para aprenderem os segredos e técnicas do tênis. A iniciativa Tênis nas Praças faz parte do Projeto Massificação Maria Esther Bueno, do Instituto Rede Tênis Brasil (IRTB), coordenado pela Academia Dietze de Tênis em Porto Alegre, sede do Núcleo Porto Alegre, e tem sido realizado no Parque Tenístico José Montaury.
Desde novembro, crianças de 6 a 12 anos das mais variadas regiões de Porto Alegre possuem um espaço público e gratuito no bairro Moinhos de Vento para aprenderem os segredos e técnicas do tênis. A iniciativa Tênis nas Praças faz parte do Projeto Massificação Maria Esther Bueno, do Instituto Rede Tênis Brasil (IRTB), coordenado pela Academia Dietze de Tênis em Porto Alegre, sede do Núcleo Porto Alegre, e tem sido realizado no Parque Tenístico José Montaury.
Além de ministrar as aulas, fornecendo o material necessário aos alunos, como bolas, redes, raquetes e cones, o projeto se responsabiliza pela conservação da quadra, mantendo o local limpo, organizado e tecnicamente correto. O contrato assinado com a Prefeitura garante a cessão do espaço por um ano, podendo ser renovado, e as turmas de alunos são formadas de acordo com a demanda.
O intuito da iniciativa é transformar a praça em uma extensão do Centro de Treinamento (CT), o IRTB, localizado no bairro Três Figueiras, processo semelhante ao que costumava ser feito em algumas escolas de Porto Alegre. Assim, os alunos podem escolher, dentre as localidades, aquela mais próxima de sua residência para praticar o esporte. Além disso, a disponibilidade de aulas em outro ambiente é uma forma de conquistar novos alunos para o projeto.
Presente na Capital desde 2017, o Projeto Massificação Maria Esther Bueno visa apresentar o tênis ao maior número de crianças possível, garantindo a gratuidade das aulas a cerca de 90% de seus alunos. O pagamento por parte dos outros 10% é utilizado para financiar lanches, materiais esportivos, viagens, dentre outros custos.
De acordo com a coordenadora, Rosani Franco, o trabalho desenvolvido pelo instituto tem como base, principalmente, a meritocracia. Para garantir a bolsa, é preciso manter um bom desempenho tanto no esporte quanto na escola, não estando diretamente relacionado a questões de renda. "Temos um aluno do Colégio Anchieta que ganha 100% de bolsa, porque ele tem um bom desempenho nos treinos e é um exemplo para os outros", explica.
Dessa forma, os participantes do Projeto recebem estímulos para se empenharem cada vez mais nas práticas e nos estudos. Isso se reflete também na forma como os pais veem a realização dos treinamentos. Segundo Rosani, em um primeiro momento, quando as crianças iniciam as aulas, muitos deles não acreditam muito no projeto. Quando começam a perceber uma mudança de seus filhos no desempenho escolar e familiar, porém, passam a ver a atividade de outra forma. "Querendo ou não, o esporte acaba te dando uma disciplina", afirma a coordenadora. "Eu sempre digo para as crianças ajudarem os pais em casa e estudarem. Tem um fundo educacional em todos os âmbitos", completa.
Atualmente, são cerca de 90 crianças que participam do projeto no CT do IRTB. Dessas, 30 já competem em âmbito estadual, nacional e, até mesmo, internacional. Os jovens Theylor, 10 anos, e Jonathan, 12 anos, por exemplo, iniciaram no Projeto em março de 2017 e, em novembro do mesmo ano, começaram a participar dos torneios. Hoje, quase 4 anos depois, já conquistaram o seu espaço no cenário do tênis gaúcho e nacional nas suas categorias. Para que tudo isto acontecesse, foi necessária muita prática e dedicação por parte dos dois.
Como consequência disso, os jovens adquiriram experiência em quadra e muitas conquistas. Theylor conquistou o título de campeão da sua categoria nos 6 campeonatos que participou no mês de outubro de 2020, além de ter sido vice na categoria 12 anos. Assim como ele, Jonathan conquistou o título de campeão em dois campeonatos dos 5 que participou e garantiu um vice na categoria 14 anos.
O projeto segue ativo durante todo o ano e, para participar, o aluno deve chegar à quadra e realizar um cadastro no próprio local. É necessário manter uma frequência de pelo menos 3 vezes por semana. É necessária a autorização dos responsáveis para que a criança participe dos treinos.
A fim de garantir a segurança de alunos e professores, as turmas estão divididas em mais horários, e a máscara só pode ser retirada nos momentos de treino.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO