Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de outubro de 2020.
Dia do Profissional de Informática. Dia da Inovação.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 19 de outubro de 2020.

Empresas & Negócios

Compartilhar

Leitura

- Publicada em 03h00min, 19/10/2020.

Estratégia

Confira as resenhas da semana

Confira as resenhas da semana


reprodução/jc
As regras da competição mudaram. Em nenhum momento da história da humanidade houve tantas e tão intensas transformações. Os modelos estratégicos e de gestão tradicionais estão em xeque e se faz necessária uma reflexão sobre uma nova estrutura que atenda as demandas de um ambiente altamente imprevisível e em constante mutação.
As regras da competição mudaram. Em nenhum momento da história da humanidade houve tantas e tão intensas transformações. Os modelos estratégicos e de gestão tradicionais estão em xeque e se faz necessária uma reflexão sobre uma nova estrutura que atenda as demandas de um ambiente altamente imprevisível e em constante mutação.
Para ajudá-lo no processo de adaptação bem-sucedida de sua organização a esse novo contexto, Sandro Magaldi e José Salibi Neto trazem em "Estratégia Adaptativa" o modelo da estratégia adaptativa, primordial para fazer as inovações necessárias e se manter competitivo no jogo atual. Neste livro, o leitor aprenderá sobre o novo modelo estratégico e como tornar sua organização mais apta a lidar com a complexidade do atual ambiente empresarial e como se relacionam os três elementos presentes na estratégia adaptativa, a cultura organizacional, a agilidade e a gestão de dados.
Além disso, ao longo da obra o leitor poderá aprender como a estratégia adaptativa é usada em organizações líderes na nova economia, como aplicar essa modelagem de modo prático e assertivo e como obter a agilidade necessária para manter-se competitivo perante os novos protagonistas que se movimentam de maneira ágil e dinâmica. No mundo da vantagem competitiva transitória, a estratégia deve ser flexível, capaz de contribuir para que a organização tome decisões com agilidade em resposta às movimentações cada vez mais velozes do mercado.
Estratégia Adaptativa; Sandro Magaldi e José Salibi Neto; Editora Gente; 304 páginas; R$ 65,00; disponível em versão digital.

Economia

Resenha Capital e Ideologia, Thomas Pikkety, Editora Intrínseca

Resenha Capital e Ideologia, Thomas Pikkety, Editora Intrínseca


/Reprodução/JC
Em seu primeiro livro "O capital no século XXI", Thomas Piketty inflamou o debate em todo o mundo sobre a distribuição de renda e a desigualdade, o que alçou a obra ao status de importante referência da área de economia e uma das mais influentes da atualidade. A partir de discussões fomentadas em palestras, congressos e artigos, Piketty percebeu que uma questão lançada em seu best-seller precisava ser aprofundada: a forma como a ideologia agiu para justificar e perpetuar a desigualdade em todas as sociedades ao longo dos últimos séculos.
No lançamento do seu novo livro "Capital e ideologia", o autor traz uma monumental pesquisa de dados coletados no Ocidente e também em nações pouco analisadas como a Tunísia, a Rússia, o Líbano e a China, e discute longamente o caso do Brasil. O apanhado remonta às sociedades pré-Revolução Francesa e chega aos dias de hoje, para mostrar como a economia não é produto da natureza: como construção histórica, é passível de ser mudada e até revolucionada.
Tido como uma continuação de "O capital no século XXI", a obra "Capital e ideologia" pode ser lida de forma independente. Ao longo das suas 1056 páginas, o leitor está destinado a ocupar um lugar de destaque nas discussões políticas, econômicas e sociais do Brasil e do mundo graças à crítica contundente que o autor faz das políticas atuais, trazendo uma proposta arrojada de um novo sistema econômico, mais justo.
Capital e ideologia; Thomas Piketty; Editora Intrínseca; 1056 páginas; R$ 99,00; Disponível em versão digital.

Dinheiro

Resenha Conecte-se com o dinheiro, de Jurgen Klaric, Editora Academia

Resenha Conecte-se com o dinheiro, de Jurgen Klaric, Editora Academia


/Reprodução/JC
Não há nada de mal em querer ficar rico. O desejo de riqueza é, na verdade, o desejo de uma vida mais rica, mais plena e mais abundante: esse desejo é louvável e digno. O lançamento da obra "Conecte-se com o dinheiro" do autor Jürgen Klaric, analisa como uma mentalidade de escassez é impeditiva para alcançar a vida dos sonhos, ensinando práticas simples para auxiliar na mudança para uma mente rica.
Após o best-seller "Venda à mente, não ao cliente", o autor tornou-se referência no setor de transformação pessoal. Jürgen Klaric se apaixonou por negócios ainda criança, mas ao contrário do que parece, ele foi vítima da mente pobre. A fobia de dinheiro, tão presente na vida da maior parte das pessoas, era realidade na sua família. Condicionado a achar o dinheiro algo maléfico, só depois de adulto Klaric consolidou uma boa relação com as finanças e descobriu as chaves para tão sonhada riqueza.
Em "Conecte-se com o dinheiro" que chega ao Brasil pelo selo Academia, o autor parte de sua experiência para explicar como ele conseguiu se livrar da mente pobre com a ajuda de cientistas e antropólogos, servindo de inspiração para o leitor alcançar esse objetivo. Com práticas simples e táticas eficazes, que buscam transformar crenças limitantes, Klaric promete ajudar quem deseja mudar de vida, adquirindo uma relação sincera e honesta com o dinheiro. O leitor descobrirá os hábitos, as táticas e as competências de uma mente rica e abundante.
Conecte-se com o dinheiro; Jürgen Klaric; Editora Planeta; Páginas 192; R$ 44,90; disponível em versão digital.
leia mais notícias de Empresas & Negócios
Comentários CORRIGIR TEXTO