Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de setembro de 2020.
Dia da Árvore. Dia do Radialista e do Fazendeiro.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 21 de setembro de 2020.

Empresas & Negócios

Compartilhar

Opinião

- Publicada em 03h00min, 21/09/2020.

Tendências do mercado de tecnologias imersivas

Marcos Trinca
Head de XR da More Than Real
Head de XR da More Than Real
Recentemente, acompanhamos uma mudança brusca no comportamento de compra devido a pandemia de Covid-19 e o isolamento social. As plataformas digitais ganharam evidência durante esse período por serem a ferramenta mais prática e cômoda para atender as necessidades da população.
Com esse novo cenário, o segmento varejista teve que se reinventar para conseguir continuar lucrando e uma das alternativas foi apostar em diferentes formatos para engajar os consumidores e proporcionar mais interatividade entre as marcas e os clientes.
Muitas empresas passaram a investir em tecnologias imersivas (realidade aumentada e virtual) para aumentar a conversão das vendas. Essa mudança de mindset é extremamente benéfica para os negócios, já que permite que o consumidor visualize os produtos de forma super realista, com uma aproximação e presença quase que física, proporcionando uma experiência de compra diferenciada.
Levantamento da ReportsnReports, consultoria de pesquisas de mercado, aponta que a alta procura por soluções de Realidade Aumentada (AR) e de Realidade Virtual (VR) nos setores de varejo, saúde, construção e jogos, irá impulsionar o crescimento pelas tecnologias imersivas nos próximos anos. O relatório ainda mostra que até 2023 a expectativa é que os segmentos de AR e VR atinjam R$ 247 bilhões e R$ 139 bilhões, respectivamente.
Esse cenário só reforça o que venho comentando há algum tempo: que as empresas estão cada vez mais dispostas a implementar a transformação digital em seus negócios como forma de melhorar sua representatividade em seu mercado de atuação. A meu ver, a tendência daqui para frente é oferecer muito mais que um produto ao cliente, mas sim uma experiência inovadora na hora de realizar uma compra e um atendimento mais personalizado, rompendo barreiras, diminuindo a fricção e proporcionando mais proximidade entre marca, produto e consumidor.
Por fim, acredito que as empresas que, de fato, conseguirem olhar para a realidade aumentada e virtual como soluções estratégicas, ganharão cada vez mais notoriedade, se posicionando à frente da concorrência, podendo até se tornar referência e conquistar um público ainda maior.
leia mais notícias de Empresas & Negócios
Comentários CORRIGIR TEXTO