Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 21 de julho de 2020.

Empresas & Negócios

Compartilhar

Responsabilidade Social

- Publicada em 03h00min, 02/03/2020. Atualizada em 03h00min, 02/03/2020.

Lazer e cultura ao alcance de todos

Unidade de Caxias do Sul, uma das mais recentes, atenderá 40 mil pessoas

Unidade de Caxias do Sul, uma das mais recentes, atenderá 40 mil pessoas


/ANDRESSA GALLO/DIVULGAÇÃO/JC
Famílias de baixa renda de Caxias do Sul, na serra gaúcha, agora têm acesso a ações de esporte, cultura e assistência social em uma nova unidade da Estação Cidadania, que foi entregue em fevereiro à população. Localizada em uma praça do bairro Cidade Nova, a estrutura atenderá cerca de 40 mil pessoas.
Famílias de baixa renda de Caxias do Sul, na serra gaúcha, agora têm acesso a ações de esporte, cultura e assistência social em uma nova unidade da Estação Cidadania, que foi entregue em fevereiro à população. Localizada em uma praça do bairro Cidade Nova, a estrutura atenderá cerca de 40 mil pessoas.
O secretário de Cultura de Caxias do Sul, Paulo Périco, explica que diversas atividades têm sido desenvolvidas no local há quatro meses, como oficinas de música, teatro, artesanato e desenho. Agora, as opções serão ampliadas, promovendo maior integração entre todos. "A expectativa da comunidade é muito grande, eles estavam sedentos por esse espaço", conta Périco.
De acordo com o secretário, o local vai colaborar para a socialização de moradores de até seis núcleos habitacionais de classe média/baixa da região. "Com o esporte, quadra de areia, equipamentos de atividade física para os idosos, as famílias vão caminhar por ali. Essa praça se transformou em um grande centro, um polo de convivência dessas quase 40 mil pessoas que transitam por ali, semanalmente", comemora.
O espaço conta com biblioteca, cineteatro com 125 lugares, laboratório multimídia, salas de oficinas, espaços multiuso, espaço para o Centro de Referência em Assistência Social (Cras), pista de skate, quadra de eventos coberta, quadra de areia, playground e pista de caminhada.
Bruno Gomes, de oito anos, já é aluno das oficinas de música. O irmão mais velho, Nicolas, gosta mais da pista de skate. Para a mãe, Karina Gomes, a Estação Cidadania colabora para tirar os filhos da frente das telas e do telefone celular, e os estimula a aprender coisas novas. "O lugar é muito bom, está sempre bem cuidado. Os meninos vão para lá, e ficamos de spreocupados, sabendo que o tempo deles será bem ocupado", contou.
Além das ações de cultura, serão incluídas na programação aulas de basquete, judô, futebol de salão, vôlei e ginástica. No total, o governo federal investiu cerca de R$ 3,2 milhões para a implantação da unidade em Caxias.
Localizadas em regiões de alta vulnerabilidade social, as estruturas do Estação Cidadania reúnem, além de opções de cultura e esporte, ações de assistência social e capacitação profissional, além de políticas de prevenção à violência. A gestão do local é compartilhada entre as prefeituras e a comunidade, com a formação de um grupo gestor composto pela sociedade civil organizada, moradores e secretarias municipais.
Até agora, foram inauguradas 34 unidades de Estação Cidadania em todo o Brasil. Ao todo, o governo federal já repassou mais de R$ 87 milhões para a construção dos equipamentos. No Rio Grande do Sul, além de Caxias do Sul, Canoas, Charqueadas e Porto Alegre também possuem suas unidades.
Na Capital, o Centro de Artes e Esportes Unificados da Restinga (CEU), inaugurado em agosto do ano passado, conta com biblioteca, teatro, pista de skate e quadra poliesportiva para a comunidade.
O local também oportuniza o desenvolvimento de outras iniciativas culturais, como o Ponto de Cultura Africanidade. O grupo, que começou a atuar no início dos anos 2000, hoje aproveita a nova estrutura para viabilizar a realização das suas atividades, que englobam aulas de capoeira, dança afro-brasileira, percussão e teatro.
Como ressalta o coordenador do Ponto e idealizador do empreendimento, José Ventura, em regiões que necessitam de recursos públicos, ambientes como os do Estação Cidadania são de grande importância. "A comunidade tem que se apropriar do espaço. É uma praça que tem que atender a comunidade de domingo a domingo, das 8h às 19h."
leia mais notícias de Empresas & Negócios
Comentários CORRIGIR TEXTO