Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Edição impressa de 18/11/2019. Alterada em 18/11 às 03h00min

Dicas de um mentor: como lidar com a frustração no ambiente empreendedor

Rafael Navarro 2, Head of Knowledge Management da Braskem, é mentor do Braskem Labs -divulgação Braskem Labs

Rafael Navarro 2, Head of Knowledge Management da Braskem, é mentor do Braskem Labs -divulgação Braskem Labs


/BRASKEM LABS/DIVULGAÇÃO/JC
Rafael Navarro
Head of Knowledge Management da Braskem e mentor do Braskem Labs
Head of Knowledge Management da Braskem e mentor do Braskem Labs
O Brasil já é um país de empreendedores e tem amadurecido na oferta de um ecossistema propício à inovação. Segundo uma pesquisa realizada pela GEM (Global Entrepreneurship Monitor) no início deste ano, a taxa de empreendedorismo total do país chegou a 38%, ou seja, 52 milhões de brasileiros afirmam possuir um negócio próprio. No entanto, empreender é uma tarefa desafiadora e faz com que muitas ideias não se tornem negócios sustentáveis. De acordo com o IBGE, uma em cada quatro empresas no Brasil fecha antes de completar dois anos.
Nesse cenário, é preciso discutir o que um empreendedor pode fazer para adquirir conhecimentos e garantir sua sobrevivência no mercado. Entre as diversas receitas de sucesso, a participação em programas de aceleração contribui para os negócios, reforçando a maturidade das startups e oferecendo uma troca rica de experiências entre mentores e mentorados. Um exemplo dessas iniciativas é o Braskem Labs, plataforma de empreendedorismo sustentável da Braskem, que oferece diferentes programas para acelerar negócios com impacto social em diferentes estágios de desenvolvimento.
Dentro da experiência que tive como mentor, acredito que um dos grandes desafios é lidar com as frustrações. Novos negócios trazem uma série de dificuldades e, num contexto econômico cada vez mais competitivo, as frustrações serão, sem dúvida, parte da evolução natural da empresa. Por isso, o melhor a fazer é ser resiliente e, sempre que o desespero bater, mentalizar algumas dicas para recomeçar.
Nas mentorias sempre há um ponto que parece simples, mas não é para todos: fazer escolhas. Desde o primeiro momento em que decide abrir um negócio, o empreendedor tem que optar por caminhos que ele julga fazerem mais sentido. Novos negócios requerem uma série de iniciativas e é importante gerir os recursos, financeiros e operacionais, tendo em mente o que é essencial para se manter no mercado. Para que o caminho fique mais fácil, é relevante que o empresário entenda que a energia deve ser concentrada sempre no "projeto 1". Dessa forma é possível compreender se a ideia irá ou não para a frente. Na medida em que os projetos vão avançando e se consolidando, a empresa vai materializando sua verdadeira vocação.
Após definir prioridades, é imprescindível criar um método de gestão e organização. Isto auxiliará na mensuração de resultados, filtrando as ideias que podem ou não ir adiante, e colocando as metas em uma linha do tempo. A organização é fundamental para não perder o foco.
É essencial usar todos os obstáculos que surgem no decorrer do projeto como impulso para chegar ainda mais perto de seus sonhos. O dono do negócio precisa entender que é muito comum que alguns de seus esforços rendam poucos frutos, mas não desanimar e seguir em frente, colecionando experiências, é o que vai levá-lo ao seu objetivo final.
leia mais notícias de Empresas & Negócios
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia