Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de novembro de 2019.
Dia do Inventor.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Edição impressa de 04/11/2019. Alterada em 04/11 às 03h00min

Quanto vale uma boa ideia não implementada?

Adriano Brero Lopes
Especialista em implementação de métodos de vendas
Especialista em implementação de métodos de vendas
Acredito que você vai concordar comigo se eu falar que não vale nada. Pois é, frequentemente observo algumas boas ideias que deixam de ser realizada na área de vendas de nossos clientes. Ideias que geralmente são de vendedores, supervisores, gerentes, diretores ou até mesmo do próprio dono do negócio. Ou seja, surgem com quem realmente vivencia o problema enfrentado.
Podem ser ideias de novas abordagens comerciais, estrutura da área de vendas, implantação de nova ferramenta de trabalho, aperfeiçoamento de processos, políticas, métodos, entre muitas outras coisas.
Mas se as ideias realmente são boas, já estão dentro da empresa e muitas vezes concentradas em altos cargos, por que é que em alguns casos não são executadas? Frequentemente me deparo com cinco principais motivos:
Histórico:alguma sugestão desta mesma pessoa, ou de uma ideia semelhante, pode já ter sido implementada sem sucesso no passado, colocando em dúvidas se, neste caso,, o propósito seria realmente bom;
Conexão: a ideia apareceu solta, sem estar conectada com as demais estratégias da empresa. Assim, ficam dúvidas se a iniciativa agregaria ou entraria em conflito com aquilo que já está em execução;
Fundamentação: o "problema" pode ainda não ter sido percebido igualmente dentro da empresa. Neste caso, faltam dados de fundamentação para justificar que a boa ideia deve ser priorizada nas ações de melhoria da área de vendas da empresa;
Planejamento: falta um planejamento que transmita a segurança necessária para que o a pessoa que decida não hesite em dedicar tempo, dinheiro e energia para executar a mudança proposta. Será que a empresa terá capacidade de implementar a ideia?
Melindres: para a realização da proposta é necessário que mais de uma área da empresa esteja envolvida. Quando existem melindres, jogos de interesses ou visões limitadas, a ideia acaba não sendo implantada. Ou, em vários casos, implantada sem sucesso.
Sobre tudo, ficam as dúvidas: será mesmo boa essa ideia? Como executar? Quanto irá custar, quanto esforço deverá ser dedicado, quanto tempo irá levar? E, principalmente, quanto resultado irá gerar?
leia mais notícias de Empresas & Negócios
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia