Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de novembro de 2019.
Dia do Inventor.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

finanças

Edição impressa de 04/11/2019. Alterada em 04/11 às 03h00min

Investir o 13º salário pode trazer bons rendimentos

Na maioria dos casos, este dinheiro é usado para quitar as contas típicas de início de ano

Na maioria dos casos, este dinheiro é usado para quitar as contas típicas de início de ano


MARCO QUINTANA/JC
Os trabalhadores formais têm até o dia 30 de novembro para receber a primeira parcela do 13º salário; a segunda parte cai na conta até 20 de dezembro. Na maioria dos casos, este dinheiro é usado para quitar as contas típicas de início de ano, como matrícula escolar, IPTU e IPVA.
Os trabalhadores formais têm até o dia 30 de novembro para receber a primeira parcela do 13º salário; a segunda parte cai na conta até 20 de dezembro. Na maioria dos casos, este dinheiro é usado para quitar as contas típicas de início de ano, como matrícula escolar, IPTU e IPVA.
Porém, em um cenário de juros na mínima histórica (a Selic está no piso de 5,5% ao ano), é preciso estar muito atento onde alocar os recursos no breve espaço de tempo para não "perder dinheiro".
O principal entrave para este investimento, destacam os especialistas, é o prazo em que o dinheiro ficará aplicado, que gira entre um e dois meses. Diante da cobrança de imposto e de taxas de administração, a caderneta de poupança aparece, em muitos casos, como a alternativa mais vantajosa.
- É uma tarefa desafiadora investir em um prazo tão apertado. Dependendo do produto, tem a incidência de Imposto de Renda na maior alíquota (22,5%) e o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) - destaca Sandra Blanco, consultora de investimentos da Órama. - Dependendo do cenário, até a poupança se torna uma opção a ser considerada.
Por exemplo, um total de R$ 3 mil investido no Tesouro Selic (com os juros a 5,5% ao ano) durante dois meses rende R$ 19,71. A mesma quantia, no mesmo período, na poupança, oferece R$ 20,64 de retorno.
Em relação aos fundos de investimento, é importante avaliar as taxas de administração e qual o rendimento oferecido por eles, lembram os especialistas. Além disso, há incidência mais alta de IR para aplicações em fundos de investimento e no Tesouro Direto para aplicações de curto prazo.
"A taxa de administração precisa ser a menor possível para que os encargos do fundo não pesem muito na rentabilidade", indica Ronaldo Guimarães, sócio-diretor do banco digital Modalmais. Além disso, é importante observar a rentabilidade. O indicado é que ela seja de 100% ou percentual superior do CDI.
Uma opção descartada pelos especialistas, neste caso, é o investimento em renda variável, como ações, por exemplo. Por ser um dinheiro que o investidor precisará usar em um curto espaço de tempo, a volatilidade característica de um investimento mais agressivo pode prejudicar os planos.
"A renda variável dá mais retorno, porém, é um produto para o longo prazo. Caso o dinheiro do 13º salário seja para quitar contas de início de ano, não é recomendado se expor ao risco do mercado de ações", alerta Blanco.
Guimarães destaca que, dentro do possível, o mais indicado é que o dinheiro do salário extra seja usado para criar uma reserva de emergência. "Por menor que seja o depósito inicial, o importante é criar a cultura de poupança, de colocar na rotina o hábito de separar uma parte dos recursos para investir', afirma o especialista
leia mais notícias de Empresas & Negócios
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia