Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de janeiro de 2019.
Feriado nos EUA: Dia de Martin Luther King.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Artigo

Edição impressa de 21/01/2019. Alterada em 15/01 às 14h19min

O Alexa ou a Siri  vão pegar você

Almir Neves
Em maio de 2018, estive no Vale do Silício e participei da AWS, o Data Week SF. Admito que, para uma pessoa de inovação e marketing, como eu, foi desafiador participar de um evento bem pesado do ponto de vista técnico.
No entanto, uma das apresentações e demonstrações saltou aos meus olhos: era o potencial do uso das interfaces de voz do ecossistema AWS. O Alexa que hoje interage muito nas caixinhas pretas, as echo dot, vem evoluindo drasticamente nos últimos anos.
São os PDAs modernos. A evolução daquele palmtop Treo, que foi um dos equipamentos mais legais que tive na minha vida, agora fala com você. Siri, Google ou Alexa já fazem coisas superbacanas como ativar a ligação para uma pessoa, escolher uma música, perguntar sobre o tempo ou até bater um papo informal com seu assistente virtual.
Mas a reportagem da revista Atlantic demonstrou estamos somente no início da revolução por voz. Em breve teremos professores, confidentes, consultores e psicólogos 100% virtuais. Para ler a matéria na integra, acesse - https://www.theatlantic.com/magazine/archive/2018/11/alexa-how-will-you-change-us/570844/.
Por isso que, baseado neste texto da Atlantic, acredito que estamos apenas na ponta do iceberg do que vi em São Francisco. O potencial de perguntar e os sistemas de voz se interconectam com as interfaces de inteligência artificial, de irem buscar dados em outras plataformas como por exemplos sistemas gerenciais empresariais, de falarem com cômodos de sua residência e até mesmo com seu carro.
Eu inclusive resolvi me aventurar e criei um bot (robô de interface) na AWS, e fiz algumas perguntas para ele, que prontamente me respondeu. Foi mágico!
Temos aqui mais um amplo e fértil terreno para startups, empresas e para players de tecnologia continuarem aprimorando suas interfaces, frameworks e serviços de voz.
E você, está pronto para a revolução da voz digital?
Chief Marketing Officer da Ideris
leia mais notícias de Empresas & Negócios
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia