Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Com a Palavra

Edição impressa de 23/07/2018. Alterada em 23/07 às 15h54min

Pucrs deve lançar graduação a distância até 2020

Teixeira enfatiza que a Pucrs continuará apostando em áreas de destaque da instituição além de EAD

Teixeira enfatiza que a Pucrs continuará apostando em áreas de destaque da instituição além de EAD


BRUNO TODESCHINI/DIVULGAÇÃO/JC
Carolina Hickmann
Ciente dos desafios da modernização da educação frente às tecnologias, a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) investe em infraestrutura no campus e atualização dos métodos de ensino. Assim, além de transformar suas 22 unidades acadêmicas em oito escolas do conhecimento, acompanhando tendências internacionais da educação superior, a Pucrs deve lançar a graduação a distância - expressão que o reitor da instituição, Evilázio Teixeira, prefere chamar de graduação on-line - até 2020. No momento, a universidade conta apenas com pós-graduação na modalidade.
Ainda assim, Teixeira enfatiza que a Pucrs continuará apostando em áreas de destaque da instituição, como a pesquisa. Segundo o reitor, são desenvolvidos mais de 2 mil projetos de pesquisa, sendo 170 deles com parcerias internacionais. Anualmente, mais de R$ 100 milhões são investidos na área da Pucrs, valores provenientes de órgãos de fomento e parcerias e também injetados pela própria instituição. De acordo com Teixeira, o desafio é sensibilizar o setor privado da importância das pesquisas para que não haja redução de aportes em razão da crise econômica.
JC Empresas & Negócios - Quais são os principais investimentos da Pucrs atualmente?
Evilázio Teixeira - Passamos por um período de transformação na Pucrs. Acabamos de lançar o Pucrs 360°, no qual transformamos 22 unidades acadêmicas em oito escolas do conhecimento. Este foi um grande investimento, e, assim, acompanhamos as tendências das principais instituições do mundo. Estamos focados nesse trabalho desde 2013, quando pude coordenar esse projeto na qualidade de coordenador de planejamento estratégico. Inauguramos, também, a Rua da Cultura, que é um grande centro cultural não só para a comunidade da Pucrs, mas também para os porto-alegrenses. O total investido ainda é um valor em aberto, visto que alguns projetos de reformulação do campus estão em fase de desenvolvimento. Como parâmetro, no ano passado, foram empenhados R$ 12 milhões.
Empresas & Negócios - De que maneira as tecnologias influenciam no ensino?
Teixeira - A tecnologia veio para ficar, e ela ajuda, sem dúvida, no processo de ensino e aprendizagem, por convicção pessoal de que é uma ferramenta que tem de estar à serviço, mas ela não vai substituir um bom professor em sala de aula e não precisa, necessariamente, ser entre quatro paredes. Falo em ambiente e qualificação. Não gostamos do termo graduação a distância, mas a educação on-line veio para ficar. Temos que garantir uma formação presencial de qualidade, mas também uma formação on-line de qualidade. Nesse sentido, precisamos aperfeiçoar o marco regulatório, pois estamos vivendo um modelo predatório no Brasil. Somos uma instituição categorizada como pública não estatal, considerada como privada diante de um mercado desregulado.
Empresas & Negócios - Hoje, a Pucrs não possui graduação a distância. Existem planos?
Teixeira - Estamos revendo nosso portfólio de educação on-line. Temos tido uma experiência muito exitosa com a pós-graduação, com mais de 6 mil estudantes fazendo cursos lato sensu atualmente. Então, estamos pensando em abrir a graduação para alguns cursos, mas isso está em fase de planejamento. Para nós, é extremamente importante que sejam de alta qualidade. Não temos a pretensão de entrar nessa rota na qual muitas instituições estão abrindo cursos com um portfólio não diferenciado. Então será de muita qualidade, e acredito que antes de 2020 poderá ser lançada.
Empresas & Negócios - Qual é o diferencial da instituição?
Teixeira - Um elemento que vale a pena destacar é que, hoje, temos mais de 570 estruturas de pesquisa. Elas desenvolvem mais de 2 mil projetos, sendo 170 com parcerias internacionais. Atualmente, 95% do quadro de docentes é composto por mestres e doutores. Temos, também, o Tecnopuc - que vem sendo, há bastante tempo, um dos melhores parques do Brasil -, mais de 80 grandes companhias e em torno de 6,5 mil empregos, dos quais 80% são egressos da Pucrs. Investimos mais de R$ 100 milhões ao ano somente em pesquisa, sendo que R$ 40 milhões são recursos próprios, e o restante é proveniente de agências de fomento, parcerias institucionais com governos e empresas.
Empresas & Negócios - Com a conjuntura econômica atual, quais são as estratégias de captação e retenção de alunos?
Teixeira - O número de alunos preocupa todas as universidades. Além da queda da taxa de natalidade no Estado, no próximo ano, teremos uma diminuição muito significativa de acesso, uma vez que o aluno deve permanecer mais um ano na escola em razão da adição do nono ano. Em termos de captação, temos que facilitar o acesso do aluno à universidade e a sua permanência. Hoje, dificilmente um aluno na Pucrs não vai continuar estudando por razões financeiras - temos uma série de subsídios que a própria universidade busca. Nos demos conta, também, de que precisamos captar em nível nacional e abrimos vagas pelo Enem.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia