Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de novembro de 2018.
Dia do Hoteleiro.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

Importados

Edição impressa de 09/11/2018. Alterada em 09/11 às 01h00min

O CLS 53 AMG estreia conceito de motorização e nova linguagem de design da Mercedes-Benz

Suspensão pneumática mantém altura de rodagem constante, a despeito da carga levada pelo veículo

Suspensão pneumática mantém altura de rodagem constante, a despeito da carga levada pelo veículo


MERCEDEZ-BENZ/DIVULGAÇÃO/JC
O cupê de quatro portas traz um novo propulsor 3.0 de seis cilindros em linha. Em condições normais, esse motor rende 435 cv de potência e um torque máximo de 520 Nm. Algumas características permitem que esse rendimento seja incrementado, com o ganho 22 cv e 250 Nm extras em situações determinadas.
O automóvel adota a nova tecnologia EQ Boost, que combina o motor de partida e o alternador. Esse recurso mais a alimentação por meio de um compressor elétrico auxiliar e um turbocompressor que utiliza os gases do escapamento melhoram a performance e o dinamismo de condução, reduzindo ao mesmo tempo o consumo de combustível e as emissões.
Nas arrancadas, um compressor elétrico auxiliar, apoiado pelo EQ Boost, gera alta pressão de alimentação de forma praticamente instantânea para uma elevação do torque mais rápida, até que o turbocompressor maior, movido pelos gases do escapamento, seja acionado. Assim, se elimina o chamado "turbo lag", que é o atraso entre o comando do acelerador e a resposta do propulsor.
O motor de arranque/alternador EQ Boost ainda tem a missão de fornecer energia para o novo sistema elétrico embarcado de 48 volts do CLS 53 AMG. A rede convencional de 12 volts também é suprida por meio de um conversor de tensão.
O V6 de 3.0 litros vem acoplado à uma transmissão Speedshift de nove marchas, que se notabiliza pela rapidez e eficiência na operação. A tração é integral, com distribuição de torque totalmente variável entre os eixos dianteiro e traseiro. Uma embreagem controlada eletromecanicamente conecta o eixo traseiro ao dianteiro.
Graças a cinco modos de condução, selecionáveis ao toque de uma tecla, o motorista consegue determinar o comportamento do CLS 53, entre os extremos de conforto e esportividade. Pneumática, a suspensão do carro tem câmeras de ar múltiplas com calibração específica das molas e amortecedores.
O CLS 53 AMG introduz a nova identidade de estilo da Mercedes-Benz, que em breve estará expressa em todos os modelos da marca, descrita pelas linhas mais simples e superfícies com menos vincos. No interior do cupê de quatro portas há detalhes exclusivos e materiais sofisticados. O maior destaque fica para o display panorâmico que conjuga o quadro de instrumentos digital e a tela da central de infoentretenimento.
A lista de sistemas de auxílio à condução e segurança do veículo é extensa: controle de velocidade de cruzeiro com manutenção de distância; assistências ativas da direção, de limite de velocidade e de frenagem; monitoramento do trânsito transversal; alerta de ponto cego; manutenção de faixa de rodagem; sistema de proteção dos ocupantes em caso de batidas; entre outros - além de nove air bags.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia