Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 21 de setembro de 2018.
Dia da Árvore. Dia do Radialista e do Fazendeiro.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

Importados

Edição impressa de 21/09/2018. Alterada em 21/09 às 01h00min

Mercedes-AMG G 63 apresenta robustez e luxo a peso de ouro

MERCEDES-BENZ/DIVULGAÇÃO/JC
Em versão renovada, Mercedes-AMG G 63 é lançado no Brasil com preços acima
de R$ 1 milhão. Ícone entre os veículos fora de estrada de alto desempenho, o modelo acaba de sofrer a maior evolução em sua história. Preservando as formas clássicas, caracterizadas pelas linhas retas, o Mercedes-AMG G 63 entrega um acabamento interno ainda mais luxuoso e excepcional conforto de rodagem.
A força dinâmica do SUV vem de um motor V8 biturbo de 4.0 litros, que substitui o V8 biturbo de 5.5 litros anterior. A oferta de potência atinge 585 cv, com torque máximo de 850 Nm, em uma faixa de 2.500 a 3.500 rpm.
Incrivelmente, dado seu peso (cerca de 2,5 toneladas) e porte, com esse propulsor o Mercedes-AMG G 63 dispara de zero a 100 km/h em breves 4,5 segundos. A velocidade máxima, por segurança, é limitada eletronicamente a 220 km/h.
Para tentar reduzir um pouco o apetite por combustível do SUV, a Mercedes-AMG dotou o V8 de um sistema de desativação de cilindros. Ou seja, quando o motorista está "pegando leve" no acelerador, os cilindros de número dois, três, cinco e oito são desativados, o que diminui o consumo.
Um display no conjunto de instrumentos informa ao condutor quando o sistema de desativação de cilindros está em uso e se o motor está funcionado em regime de carga parcial ou total. E a transição entre a operação com quatro ou oito cilindros ocorre de maneira rápida e imperceptível.
A transmissão utilizada no Mercedes-AMG G 63 é uma Speedshift de nove marchas, que recebeu uma programação especial para reduzir os tempos de troca. A tração integral 4Matic atua no SUV favorecendo a distribuição de torque para o eixo traseiro, em uma proporção de 40/60 (no modelo anterior, essa relação era 50/50), a qual permite maior agilidade na estrada e tração mais eficiente nas acelerações.
A caixa de redução foi aperfeiçoada para operação em terrenos difíceis e a nova embreagem multidiscos inteligente se comporta como um diferencial blocante controlado automaticamente. Ambas ajudam o veículo a superar os trechos off road mais extremos.
A dirigibilidade superior do Mercedes-AMG G 63 se deve em grande parte ao sistema de suspensão, que foi completamente reprojetado. Pela primeira vez, o eixo dianteiro emprega uma suspensão independente, com braços duplos em V. Na traseira, um eixo rígido trabalha com uma suspensão de cinco braços.
O amortecimento ajustável adaptativo é de série no veículo. Esse recurso totalmente automático e controlado eletronicamente ajusta o amortecimento de cada roda às necessidades do momento, aumentando a segurança e o conforto.
Também de forma inédita para o Classe G, os parâmetros de dirigibilidade podem ser individualizados ao toque de uma tecla, com cinco modos on road e três para off road. Cada um interfere nas respostas do motor e da transmissão, e na regulagem da suspensão e da direção.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia