Porto Alegre, quinta-feira, 09 de setembro de 2021.
Dia do Administrador e do Médico Veterinário.
Porto Alegre,
quinta-feira, 09 de setembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Safra

- Publicada em 12h15min, 09/09/2021. Atualizada em 17h37min, 09/09/2021.

Milho volta a ocupar lugar de destaque na produção de grãos de verão no RS

Cultura do milho apresenta reação depois ter sido a mais castigada pela estiagem na safra passada

Cultura do milho apresenta reação depois ter sido a mais castigada pela estiagem na safra passada


Seapdr/Divulgação/JC
Cristine Pires
A produção de milho deve aumentar cerca de 40% no Estado, segundo a expectativa dos grãos para a Safra de Verão 2021/2022 apresentada pela Emater/RS na manhã desta quinta-feira (9), no parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.
A produção de milho deve aumentar cerca de 40% no Estado, segundo a expectativa dos grãos para a Safra de Verão 2021/2022 apresentada pela Emater/RS na manhã desta quinta-feira (9), no parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.
“De deficitários na produção de milho agora comemoramos um aumento de 6,8% na área plantada e de 39,23% de acréscimo de produção”, destaca a secretária da Agricultura, Silvana Covatti, que atribui o resultado ao trabalho conjunto entre produtor e tecnologia e à consequente valorização do produto.
Esses aspectos, para a secretária, reforçam a importância do milho para o Estado e o acerto do governo gaúcho no compromisso assumido em 2019, com o programa Pró Milho, para mudar a realidade da produção do grão no Rio Grande do Sul. “Estamos falando no principal componente da ração animal”, enfatizou ela.
O diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri, destaca que o aumento da produção ganha mais impacto ainda pelo fato de a cultura do milho ter sido a mais castigada pela estiagem na safra passada, com uma estimativa inicial de produção de 6,11 milhões de toneladas do grão, ou seja, um incremento de 4,39 milhões de toneladas em relação à safra passada. A área cultivada de 834 mil hectares, aumentou 6,89% se comparada aos 780 mil hectares do ano passado. E a produtividade estimada para este ano é de 7,3 ton/ha, aumento de 29,59% se comparada à colheita anterior (5,6 ton/ha).
De acordo com a Emater, com estabilidade na área cultivada, sendo 360,03 mil hectares contra os 360,15 do ano passado, a produção de milho silagem também deve registrar um aumento de 30,06% da produção (13,25 milhões de toneladas) e de 29,93% na produtividade (36,8 ton/ha), comparada aos 10,1 milhões de toneladas e 28,32 ton/ha do ano anterior).

Principais grãos de verão devem somar 33,6 milhões de toneladas

Soja deve apresentar aumento de 3,62% na área cultivada
Soja deve apresentar aumento de 3,62% na área cultivada
LUIZ CHAVES/ARQUIVO/PALÁCIO PIRATINI/JC
A Emater/RS estima o aumento de 3,41% da área cultivada e e de 1,69% da produção dos principais grãos de verão na Safra 2021/2022 na produção quando comparada com o ano anterior (7,8 milhões de hectares e 33,1 milhões de toneladas de grãos). De acordo com o estudo, serão produzidas 33,6 milhões de toneladas de milho, soja, arroz e feijão em 8,1 milhões de hectares no Estado. O que representa um aumento  na área e 1,69%.
"É importante destacar que essa estimativa inicial é baseada na tendência apresentada pelas produtividades médias municipais registradas ao longo dos últimos 10 anos", afirma o diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri. Segundo ele, as informações têm credibilidade em função da dimensão da amostragem em todo o Estado.

Confira as estimativas para as demais culturas

Feijão
 
O feijão primeira safra é outra cultura que, apesar da redução de -4,35 na área cultivada (34,9 mil hectares), a expectativa é de crescimento de 13,99 na produção (54,31 mil toneladas) e de 17,67% na produtividade (1,77 ton/ha), em comparação ao ano anterior que registrou área de 36,57 mil hectares, 54,31 mil toneladas e 1,50 ton/ha).
 
Arroz
A estimativa para a cultura do arroz é somente de redução em área (-0,49%), produção (-8,61%) e produtividade (-8,16%). São 943,8 mil hectares cultivados e expectativa de produção de 7,54 milhões de toneladas e 7,9 ton/ha, comparado à colheita do ano passado (948,5 mil hectares, 8,25 milhões de toneladas e 8,7 ton/ha).
 
Soja
Apesar de apresentar aumento de 3,62% na área cultivada (6,32 milhões de hectares), a estimativa para a cultura da soja também é de redução de -2,26% na produção (19,9 milhões de toneladas) e de -5,68 na produtividade (3,15 ton/ha), se comparada com os 6,1 milhões de hectares, 20,4 milhões de toneladas e 3,34 ton/ha da safra passada.

Avaliação e previsão do tempo para os produtores

  • Agosto apresentou precipitações irregulares e volumes abaixo da média na maior parte do RS. A deficiência hídrica persiste na maioria das regiões, mas ainda permanece mais grave nos setores Norte e Noroeste. As temperaturas, mínimas e máximas, apresentaram um padrão contrário, com valores acima da normal climatológica em todo Estado.
  • Nos primeiros dias de setembro, a propagação de áreas de baixa pressão e frentes frias favoreceu a ocorrência de chuvas regulares e totais elevados de chuva, condição que deve persistir no restante do mês, onde são esperados valores acima da média em todas as regiões.
  • Em relação à temperatura, a incursão de frentes frias também favorece o ingresso de massas de ar frio e em setembro ainda ocorrerão dias com temperaturas mínimas baixas e poderão ocorrer geadas fracas e isoladas em algumas áreas.

Próximo trimestre

O próximo trimestre deverá ter precipitações abaixo do esperado na maior parte do RS. A previsão dos modelos climáticos persiste na ocorrência de um novo evento La Niña e a condição de chuva deve diminuir nos próximos meses, principalmente no fim da primavera e começo do verão.
Para outubro, as precipitações deverão se manter próximas da média na maioria das regiões, com valores ligeiramente acima da normalidade na faixa Noroeste. Nos meses de novembro e dezembro, o prognóstico indica a redução da chuva em todo Estado. A previsão trimestral também indica temperaturas, mínimas e máximas, abaixo a média nos meses de outubro e novembro, com elevação dos valores em dezembro.
Chuva
  • Outubro: Valores próximos da normalidade na maior parte do Estado, com totais acima da média nas Missões e Vale do Uruguai.
  • Novembro: Abaixo da média em todo Estado, principalmente na faixa Norte.
  • Dezembro: Seco em todo Estado, sobretudo na Metade Norte, com valores muito abaixo da média.
Temperatura Máxima
  • Outubro: Abaixo do normal em todo Estado.
  • Novembro: Abaixo da média em todas as regiões.
  • Dezembro: Acima da média na maior parte do Estado, com valores próximos da normal na faixa Leste.
Temperatura Mínima
  • Outubro: Próxima da normal na maior parte do Estado, com valores abaixo da média somente na faixa Norte.
  • Novembro: Valores abaixo da média em todas as regiões.
  • Dezembro: Abaixo da média na maior parte do Estado, com valores próximos da normal na Campanha e Zona Sul.
Fonte: Flavio Varone, meteorologista da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr)
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário