Porto Alegre, sexta-feira, 30 de julho de 2021.
Porto Alegre,
sexta-feira, 30 de julho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado Financeiro

- Publicada em 20h37min, 30/07/2021.

CVM suspende por 30 dias oferta de recebíveis agrícolas vinculada ao MST

Movimento deve corrigir problemas na oferta, sob risco de cancelamento definitivo

Movimento deve corrigir problemas na oferta, sob risco de cancelamento definitivo


CAMILLA SHAW/MST/DIVULGAÇÃO/JC
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) suspendeu nesta sexta-feira, 30, uma oferta pública de distribuição de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) da Gaia Impacto Securitizadora. Segundo a autarquia, a oferta foi suspensa porque os documentos não informam sobre a vinculação dos devedores do lastro dos CRA ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) suspendeu nesta sexta-feira, 30, uma oferta pública de distribuição de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) da Gaia Impacto Securitizadora. Segundo a autarquia, a oferta foi suspensa porque os documentos não informam sobre a vinculação dos devedores do lastro dos CRA ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
Para a Superintendência de Registro de Valores Mobiliários (SRE) da CVM, essa seria uma informação essencial para a tomada de decisão de investidores. "Essa é uma característica homogênea dos devedores do lastro dos valores mobiliários a serem emitidos, portanto, deveria constar na documentação, como previsto pela Instrução CVM 400", informou a CVM.
O prospecto prevê a captação de R$ 17,5 milhões por meio da emissão de CRA, sem detalhar que os recursos vão financiar a ampliação da capacidade de produção de sete cooperativas do MST que produzem leite, milho, arroz, soja, açúcar mascavo e suco de laranja, como mostrado por reportagens. As cooperativas estão localizadas em Estados do Sul, Sudeste e Centro-Oeste, compostas por 13 mil famílias.
Com a decisão, a oferta fica suspensa pelo prazo de até 30 dias. Caso as irregularidades não sejam corrigidas neste prazo, a CVM poderá cancelar a oferta definitivamente. A superintendência também determinou que a ofertante publique imediatamente um comunicado ao mercado, informando a decisão da suspensão.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário