Porto Alegre, quinta-feira, 22 de julho de 2021.
Porto Alegre,
quinta-feira, 22 de julho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Fiscalização

- Publicada em 15h54min, 22/07/2021.

Fiscais agropecuários e BM flagram contrabando de bovinos

Animais foram atravessados a nado pelo Rio Uruguai e estavam machucados e exauridos

Animais foram atravessados a nado pelo Rio Uruguai e estavam machucados e exauridos


Seapdr/Divulgação/JC
A Brigada Militar (BM) flagrou, na quarta-feira (21), o contrabando de oito bovinos oriundos da Argentina, quando faziam a travessia para o Rio Grande do Sul. A BM e fiscais estaduais agropecuários da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), que integram a equipe do Programa Sentinela, foram até a propriedade de desembarque dos animais, no município de Alecrim.
A Brigada Militar (BM) flagrou, na quarta-feira (21), o contrabando de oito bovinos oriundos da Argentina, quando faziam a travessia para o Rio Grande do Sul. A BM e fiscais estaduais agropecuários da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), que integram a equipe do Programa Sentinela, foram até a propriedade de desembarque dos animais, no município de Alecrim.
Conforme o coordenador do Programa Sentinela, Francisco Lopes, os bovinos foram atravessados a nado pelo Rio Uruguai e estavam machucados e exauridos. “Foram apreendidos e encaminhados para abate imediato, segundo previsão legal, devido ao risco sanitário, visto que o status para febre aftosa do Rio Grande do Sul é superior ao da Argentina, que ainda pratica a vacinação. O inquérito criminal deverá ser aberto junto à Delegacia da Polícia Federal de Santo Ângelo para apurar a materialidade e autoria do crime”, conta.
Lopes afirma que as ações de investigação, inteligência e vigilância da BM têm sido fundamentais para o flagrante de ações como essa, inibindo a prática do crime. “A segurança sanitária do rebanho do Rio Grande do Sul e do Brasil depende da ação integrada dos órgãos de fiscalização, segurança e defesa”.
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário