Porto Alegre, quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 07 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Indústria

- Publicada em 17h53min, 06/01/2021. Atualizada em 13h08min, 07/01/2021.

Três empresas beneficiam 25% do arroz gaúcho

Camil, Josapar e Pirahy foram responsáveis por 25,79% de toda a industrialização do cereal no Estado em 2019

Camil, Josapar e Pirahy foram responsáveis por 25,79% de toda a industrialização do cereal no Estado em 2019


FREEPIK.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Marcelo Beledeli
As três maiores indústrias de arroz do Rio Grande do Sul foram responsáveis, sozinhas, por um quarto do beneficiamento do grão no Estado em 2019. Segundo ranking elaborado pelo Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), do total de 6.466.318 toneladas do cereal beneficiadas naquele ano, 25,79% foram industrializadas por apenas três das 232 empresas do setor atuantes no Estado.
As três maiores indústrias de arroz do Rio Grande do Sul foram responsáveis, sozinhas, por um quarto do beneficiamento do grão no Estado em 2019. Segundo ranking elaborado pelo Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), do total de 6.466.318 toneladas do cereal beneficiadas naquele ano, 25,79% foram industrializadas por apenas três das 232 empresas do setor atuantes no Estado.
O ranking é liderado pela Camil, que beneficiou 926.398 toneladas naquele ano, representando sozinha 14,33% da produção gaúcha. Em seguida vem a Josapar, responsável pelo beneficiamento de 7,69% do total, o que equivale a 497.262 toneladas. Já em terceiro lugar ficou a Pirahy Alimentos, com 3,77% do total (244.040 toneladas).
Os dados de 2019 foram apresentados com atraso. Segundo o Irga, em breve, a partir do recebimento de novos dados, será divulgado o ranking com os números de 2020. 
Comentários CORRIGIR TEXTO