Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado Financeiro

05/06/2018 - 17h37min. Alterada em 05/06 às 17h37min

Petróleo fecha em alta com expectativa por relatório de estoques nos EUA

O petróleo apagou as perdas da metade inicial da sessão e fechou em alta nesta terça-feira (5) com alguns operadores esperando que o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos traga na quarta-feira, 6, uma leitura dos estoques da commodity no país favorável à alta das cotações e que possa interromper a recente trajetória descendente dos preços.
O petróleo apagou as perdas da metade inicial da sessão e fechou em alta nesta terça-feira (5) com alguns operadores esperando que o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos traga na quarta-feira, 6, uma leitura dos estoques da commodity no país favorável à alta das cotações e que possa interromper a recente trajetória descendente dos preços.
Na Intercontinental Exchange (ICE), em Londres, o barril do petróleo Brent para agosto teve alta de US$ 0,09 (+0,12%), para US$ 75,38. Já na New York Mercantile Exchange (Nymex), o WTI para julho subiu US$ 0,77 (+1,18%), para US$ 65,52 o barril.
Os preços caíram das maiores altas dos últimos anos cerca de duas semanas atrás em meio às tratativas entre a Rússia e a Arábia Saudita para elevar conjuntamente a produção de petróleo às vésperas da próxima reunião da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep), em 22 de junho.
No entanto, alguns analistas ainda dizem pensar que uma demanda ascendente vai ser suficiente para compensar quaisquer possíveis aumentos de oferta e evitar que os preços escorreguem.
Para a quarta-feira, estrategistas acreditam que um relatório do DoE com uma leitura favorável à alta dos preços poderia impulsionar o petróleo - a cotação do barril do WTI para julho cedeu 9,2% nas últimas duas semanas.
"Caímos muita coisa em um período curto de tempo, então poderíamos estar maduros para um rali de reviravolta se o relatório for bullish", disse o sócio-fundador da Again Capital, John Kilduff, referindo-se a uma leitura favorável à alta dos preços.
Estimativas de 11 analistas e operadores ouvidos pelo Wall Street Journal dão conta de um recuo de 1,9 milhão de barris dos estoques de petróleo nos EUA na semana encerrada em 1º de junho. Fonte: Dow Jones Newswires.