Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de junho de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

Dança

Notícia da edição impressa de 05/06/2018. Alterada em 04/06 às 17h10min

Balé em cena: Festival Internacional de Dança de Porto Alegre começa nesta terça-feira

Evento terá mais de mil bailarinos de diferentes nacionalidades participando da Mostra Competitiva

Evento terá mais de mil bailarinos de diferentes nacionalidades participando da Mostra Competitiva


DANIEL MARTINS/DIVULGAÇÃO/JC
Frederico Engel
A capital gaúcha ganha mais um evento para a sua agenda cultural. Realizado pelo Ballet Vera Bublitz, o 1º Festival Internacional de Dança de Porto Alegre (Fidpoa) abre um novo espaço para os apreciadores da dança assistirem belas performances enquanto profissionais se apresentarem no histórico e célebre palco do Theatro São Pedro (Praça Mal. Deodoro, s/nº).
Idealizado por Vera Bublitz, diretora-geral, e Carlla Bublitz, diretora artística, o festival contará com mais de mil bailarinos de diferentes nacionalidades que dançam a partir de quarta-feira (6), até domingo (10), na Mostra Competitiva, para um corpo de jurados de seis países: Alemanha, Brasil, Estados Unidos, Itália, Suíça e Uruguai. "É importante termos profissionais de fora do País para avaliação, ainda mais pela experiência e oportunidades que eles podem oferecer, como bolsas de estudo para dançar fora do Brasil", destaca Carlla. Ela acrescenta que a participação de jurados brasileiros também é fundamental.
O Fidpoa contará com uma participação especial da bailarina Ana Botafogo, que estará apenas nesta terça-feira (5) autografando o livro Ana Botafogo: Na magia do palco, da bailarina e crítica de dança Suzana Braga, falecida em setembro de 2014. A publicação é uma reedição especial atualizada da obra, com a sessão de autógrafos ocorrendo simultaneamente à exposição Orbitações, do jornalista e fotógrafo Joel Gehlen, que permanece em cartaz até domingo. "Ela deixou um legado, se trata de uma pessoa imortal. A Suzana escreveu a nossa história, ela não deixou a história morrer", comenta a diretora artística.
A abertura do festival fica a cargo do Ballet Gisele, de Adolph Adam, às 20h30min, apresentando uma obra clássica que caracteriza a era romântica. Dançando os primeiros papéis estão os bailarinos convidados do Ballet Nacional Sodre/BNS, do Uruguai: Marta Bayona - ex-aluna do Ballet Vera Bublitz, que já desempenhou papéis principais e de solista - e Gustavo Carvalho, primeiro bailarino do BNS. O corpo de baile será formado pelos alunos do Ballet Vera Bublitz.
A Mostra Competitiva terá início amanhã, às 15h, com duas sessões separadas por um intervalo. Antes, a partir das 9h, os bailarinos têm a oportunidade de ensaiar e se ambientar mais com o palco do teatro. Além das apresentações, os jurados têm outras tarefas que fazem parte do Fidpoa, como as oficinas que acontecem na Casa de Cultura Mario Quintana, das 9h às 18h. "Haverá uma aula de história da dança, com a bailarina, professora e pesquisadora Eliana Caminada. Também estará presente a representante do Youth America Grand Prix em Porto Alegre", explica Carlla. Como o Ballet Vera Bublitz é parceiro do YAGP, poderá haver selecionados diretamente para o concurso e que disputariam a final em Nova Iorque.
{'nm_midia_inter_thumb1':'http://midias.jornaldocomercio.com.br/_midias/jpg/2018/05/30/206x137/1_lp_300518___ballet__2_-1829153.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5b159b05d517d', 'cd_midia':1831029, 'ds_midia_link': 'http://midias.jornaldocomercio.com.br/_midias/jpg/2018/06/04/500x333/1_lp_300518___ballet__2_-1829153.jpg', 'ds_midia': '', 'ds_midia_credi': '', 'ds_midia_titlo': '', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '500', 'cd_midia_h': '332', 'align': 'Middle'}

Carlla Bublitz é a diretora artística do evento. Foto: Luiza Prado/JC

E não será apenas nos espaços de arte que o festival estará presente. Em parceria com o Rua da Praia Shopping, haverá uma Feira Fidpoa que oferecerá diferentes produtos relacionados ao balé. "A economia da cidade e especialmente a do Centro estará movimentada, já que além da feira, a maioria dos participantes ficará hospedada nos hotéis da rede Master e Cosmopolitan", aponta.
Carlla enfrentou dificuldades com a realização da atração. Com uma vasta experiência de participar em outros eventos de dança, este é o primeiro em que ela é a principal coordenadora. "Comecei o planejamento há dois anos, junto à minha mãe, mas tenho apanhado um pouco. É bem diferente fazer parte de um festival em comparação com organizar um", afirma. Ela reforça algumas características que o 1º Fidpoa busca assumir: "Valorizamos o balé clássico livre e de repertório, o jazz e a dança contemporânea, técnicas necessárias para a entrada do bailarino em qualquer grande companhia do mundo. Queremos elevar o nível de competitividade e oferecer um evento de alto nível para o público e para os participantes, para que todos saiam de lá mais qualificados".
Para 2019, será celebrado junto à segunda edição do Fidpoa os 40 anos do Ballet Vera Bublitz. O balé La Bayadere já está confirmado, com a apresentação mudando para o Teatro do Sesi, devido ao maior espaço do palco que comporta melhor os três atos e cinco cenas da apresentação.
Restam poucos ingressos à venda, com valores entre R$ 60,00 e R$ 120,00 para a abertura, R$ 20,00 na Mostra Competitiva e R$ 60,00 no encerramento.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia