Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 07 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Alterada em 07/05 às 11h57min

Segurança nas eleições está garantida, diz presidente do TRE-RJ

Agência Brasil
Após se reunir com o interventor federal no Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto, e com o secretário de Estado de Segurança, general Richard Nunes, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), Carlos Eduardo da Rosa da Fonseca Passos, disse estar "tranquilo" de que não haverá problemas na área de segurança nas eleições gerais deste ano.
Passos afirmou que iria solicitar o envio de tropas federais, mas com a intervenção, "a situação ficou muito mais facilitada". Ele disse que desde o final do ano passado o TRE-RJ estabeleceu um regime de coalizão com o Ministério Público Estadual, a Procuradoria Regional Eleitoral e as polícias Civil e Militar para a questão de segurança nas eleições.
"Desde então nós estamos atuando de forma integrada, diria que é mais do que uma integração, há um espírito de camaradagem. Formamos grupos de trabalho específicos de inteligência, planejamento, logística, soluções tecnológicas, assessoria de imprensa e capacitação dos servidores para permitir que os trabalhos fluam de uma maneira mais simplificada".
As tropas federais já foram usadas para garantir a segurança nas eleições de 2014, com reforço no Complexo de Favelas da Maré, onde o exército já estava atuando na época, e em 2016 foram enviadas para municípios da baixada fluminense e da região metropolitana.
Passos participou hoje (7) da abertura do Seminário Corrupção e Eleições, na Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj). Ele informou que o TRE-RJ publicou uma Instrução normativa conjunta com a corregedoria para padronizar procedimentos e formulários da fiscalização da propaganda eleitoral.
"Também tomamos a iniciativa de dialogar com as redes sociais para evitar o que acontecia de desrespeito a decisão judicial. Ao invés de partirmos para tirar o WhatsApp do ar, ou outras medidas que inclusive acabam atingindo apenas o usuário, nós estamos em diálogo, e todos os casos até o momento de atuação do juiz da propaganda eleitoral essas postagens indevidas são retiradas de imediato do Facebook, WhatsApp, etc."
O presidente do TRE-RJ informou também que desde o ano passado a justiça eleitoral implantou o processo eletrônico e, pela primeira vez, a prestação de contas das eleições vai ser eletrônica, o que permite maior rapidez na análise e grande economia de papel.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia