Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 16 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Ásia

Notícia da edição impressa de 17/05/2018. Alterada em 16/05 às 22h36min

EUA mantém esperança de promover encontro entre Trump e Kim Jong-un

Os Estados Unidos mantêm a esperança de que a reunião entre o presidente Donald Trump e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, aconteça, afirmou ontem a porta-voz do governo norte-americano, Sarah Sanders. "O presidente está preparado para o encontro. Se não acontecer, vamos continuar com a campanha de máxima pressão que está em progresso", disse Sarah.
A Coreia do Norte colocou em dúvida, na terça-feira, a realização da cúpula em Cingapura, no próximo dia 12 de junho. O regime ainda suspendeu reunião que teria com a Coreia do Sul ontem. A China acabou apelando ao país vizinho para que siga adiante com o encontro em Cingapura. O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Lu Kang, disse que Coreia do Norte e EUA devem garantir que a reunião ocorra como planejado e gere "resultados substanciais".
O motivo do cancelamento do encontro seria a realização de exercícios militares conjuntos por sul-coreanos e norte-americanos, que começaram na sexta-feira passada e devem durar duas semanas. A agência estatal norte-coreana de notícias afirmou que as atividades militares eram vistas como um "treinamento para uma invasão da Coreia do Norte" e uma "provocação", e disse que Pyongyang não tinha outra opção senão suspender as conversas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia