Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

relações internacionais

Alterada em 08/05 às 17h41min

Reino Unido, França e Alemanha seguem comprometidos em garantir acordo com o Irã

Os chefes de governo do Reino Unido, da França e da Alemanha afirmaram nesta terça-feira em comunicado conjunto que continuam comprometidos em garantir a vigência do acordo nuclear com o Irã. Mais cedo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a decisão de retirar seu país do pacto e reinstaurar as sanções econômicas a Teerã que haviam sido suspensas pelo tratado.
"Juntos, nós enfatizamos nosso comprometimento contínuo com o JCPOA (como é chamado oficialmente o acordo na sigla em inglês)", pontuaram a primeira-ministra britânica, Theresa May, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Emmanuel Macron.
Os três líderes europeus instaram Washington a assegurar que as "estruturas" do pacto nuclear possam permanecer "intactas" e a evitar a adoção de ações que obstruam a "implementação integral" do acordo por "todas as outras partes" que o integram.
"Após nos engajarmos com o governo dos EUA de uma maneira abrangente ao longo dos últimos meses, nós convocamos os EUA a fazer tudo que for possível para preservar os ganhos para a não proliferação nuclear trazidos pelo JCPOA, ao permitir (o cumprimento e o monitoramento) de seus principais elementos", pediram May, Merkel e Macron.
Eles também disseram "encorajar" o Irã a "mostrar retidão" em resposta à decisão americana. "O Irã tem de continuar cumprindo suas obrigações sob o acordo, cooperando de maneira integral e tempestiva com requerimentos de inspeções da IAEA (Agência Internacional de Energia Atômica, na sigla em inglês).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia