Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

relações internacionais

Alterada em 08/05 às 17h01min

Seguimos no acordo nuclear com mais cinco países, sem os EUA, diz Irã

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, afirmou nesta terça-feira que seu país agora continua no acordo nuclear internacional, mesmo sem a presença dos Estados Unidos. A iniciativa envolve também Reino Unido, Alemanha, China, Rússia e França. Rouhani disse ter determinado que seu Ministério das Relações Exteriores mantenha diálogos com a União Europeia e outras regiões sobre o assunto, além de ressaltar que consultará as outras nações envolvidas no acordo. De acordo com ele, há um "curto período" para negociar a manutenção da iniciativa.
"Se pudermos ganhar o que o povo iraniano quer, podemos caminhar para a paz", afirmou o líder iraniano. Rouhani qualificou as declarações de Trump como "indelicadas", mas disse que esperava que o líder dos EUA não fosse fiel à iniciativa.
O presidente afirmou que, se necessário, seu país pode voltar a enriquecer urânio para fins industriais. Ele disse ainda que levará algumas semanas para tomar decisões antes de implementar suas decisões sobre o tema. Segundo ele, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) deve estar preparada para as próximas medidas da nação persa. "Se nossos interesses não forem cobertos, falarei em breve ao povo iraniano."
O líder iraniano também buscou acalmar a população local, dizendo que não é preciso se preocupar quanto ao futuro do país. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia