Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Paralisação

29/05/2018 - 12h54min. Alterada em 29/05 às 19h26min

Ônibus devem voltar a atender normalmente na quinta-feira em Porto Alegre

Oferta menor de transporte público tem deixado paradas lotadas desde a semana passada

Oferta menor de transporte público tem deixado paradas lotadas desde a semana passada


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Isabella Sander
A chegada regular de combustível a Porto Alegre, mediante escolta da Brigada Militar e do Exército na saída da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), em Canoas, deve permitir que os ônibus voltem a atender normalmente já na quinta-feira (31). “O combustível tem chegado, mesmo que com dificuldade, então a tendência é que a situação se normalize e possamos atender com tabela de dia normal a partir de quinta”, estima o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Marcelo Soletti.
A chegada regular de combustível a Porto Alegre, mediante escolta da Brigada Militar e do Exército na saída da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), em Canoas, deve permitir que os ônibus voltem a atender normalmente já na quinta-feira (31). “O combustível tem chegado, mesmo que com dificuldade, então a tendência é que a situação se normalize e possamos atender com tabela de dia normal a partir de quinta”, estima o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Marcelo Soletti.
Como na quinta-feira será feriado de Corpus Christi, a tabela horária utilizada terá maior espaçamento de horários, como sempre acontece em domingos e feriados. Na sexta-feira, porém, a tendência é que a tabela já seja a de dias úteis normais.
O Gabinete de Crise da prefeitura está fazendo a gestão e a distribuição do combustível disponível entre ônibus, ambulâncias, viaturas e outros veículos necessários para serviços essenciais. A oferta menor de transporte público tem deixado as paradas lotadas em toda a cidade.

EPTC autuará descumprimento de tabela horária na Zona Sul

Moradores da Zona Sul de Porto Alegre sofreram nesta terça-feira (29), no início da manhã, com dificuldades para acessar o transporte público. Apesar da promessa de oferta de ônibus em tabela horária normal de dias úteis nos horários de pico, a população local reclama que os veículos demoravam a chegar e, quando chegavam, vinham cheios e nem sempre paravam. A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) autuará as irregularidades encontradas.
A autuação ocorrerá após a realização de um levantamento sobre como foi a oferta do serviço em cada linha e em cada horário de responsabilidade do consórcio Viva Sul, que atende a Zona Sul. O acordo de tabela horária normal em horários de pico e tabela de sábado no restante dos horários foi feito entre consórcios e prefeitura, contudo a empresa informou à EPTC que não havia entendido e estava trabalhando com tabela de sábado por todo o dia.
“No restante do dia será o que já estava combinado, ou seja, tabela de sábado até as 17h e, entre 17h e 19h30min, 100% da oferta de dias úteis”, explica o diretor-presidente da EPTC, Marcelo Soletti.
Além de averiguar o que foi acordado e o que foi oferecido pelo consórcio, a prefeitura também avaliará se houve demanda de passageiros acima do normal, em função da falta de combustível em postos da Zona Sul e a consequente impossibilidade das pessoas de usarem seus carros. Pela lista divulgada na segunda-feira (28) pelo município, é possível perceber que a Zona Sul da Capital é, atualmente, a mais prejudicada em termos de distribuição de combustível.
Em nota, a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) informou que, apesar dos esforços para oferecer atendimento normal, houve realmente problemas na Zona Sul da cidade. "A associação lamenta o ocorrido e destaca que se trata de uma situação atípica, tanto pela falta de combustível quanto pelas demais deficiências que essa condição provoca, inclusive em relação ao deslocamento de funcionários", aponta. A entidade também menciona sobredemanda em comparação aos dias anteriores, em função do não abastecimento de gasolina nos postos do Extremo-Sul da Capital.