Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de maio de 2018.
Dia da Saúde.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Protestos

28/05/2018 - 17h18min. Alterada em 28/05 às 17h38min

Cavaleiros protestam em Porto Alegre por menos impostos e em apoio a caminhoneiros

Grupo rumou ao Palácio Piratini e esperava ser recebido pelo governador José Ivo Sartori

Grupo rumou ao Palácio Piratini e esperava ser recebido pelo governador José Ivo Sartori


CLAITON DORNELLES /JC
Paulo Egídio
Um grupo de aproximadamente 300 cavaleiros e amazonas se manifestou nesta segunda-feira (28) em Porto Alegre em apoio à greve dos caminhoneiros e pedindo a diminuição de impostos. Vindos da Capital e de municípios da Região Metropolitana, eles se concentraram no Parque da Redenção por volta das 15h e seguiram em cavalgada até o Palácio Piratini
Os manifestantes pretendiam se reunir com o governador José Ivo Sartori (MDB). No entanto, na chegada ao Piratini o governador participava de uma reunião na Secretaria de Segurança e os cavaleiros acabaram recebidos pelo chefe de gabinete, Idenir Cecchim.
Organizados pelo grupo Cavaleiros de Viamão e trajando a indumentária típica gaúcha, a maior parte dos manifestantes veio pelas avenidas Bento Gonçalves e Ipiranga. No trajeto até a sede do governo gaúcho, eles ocuparam totalmente as avenidas João Pessoa e Salgado Filho, no sentido bairro/centro, bloqueando o trânsito na região.
O médico veterinário Henrique Noronha, líder da manifestação, disse que o protesto busca “mostrar a força doo povo do cavalo’. “Estamos somando forças (aos caminhoneiros), sem nenhum partido, em nome da redução da carga tributária, o fim dos privilégios dos políticos combate a corrupção”, afirmou. Segundo Noronha, integraram o movimento cavaleiros de Porto Alegre, Viamão, Guaíba, Canoas e até de cidades litorâneas, como Capivari do Sul e Palmares do Sul.
Também de Viamão, o produtor rural Guilherme Bierhals disse que o objetivo do movimento era entregar um “chasque” ao governador. “Viemos mostrar nossa insatisfação com o cenário atual. Queremos um estado e um país mais justo. Precisamos terminar com as regalias do setor público para que seja possível diminuir a carga tributária”, disse Bierhals. “Hoje, o povo e o setor empresarial estão pagando a conta”, completou.
Para o borracheiro Erick Bitelo, de Porto Alegre, “se ninguém fizer nada, isso (altos impostos) vai continuar”. “Estamos aqui pelo povo. Tem que parar tudo e fazer alguma coisa mudar. É muito imposto e muita ladroagem (sic) da classe política”, declarou o cavaleiro.
O protesto foi acompanhado por agentes da EPTC, que coordenaram a saída a Redenção e o trajeto até o Piratini. A reportagem aguarda posição da estatal sobre a autorização do protesto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia