Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Conjuntura

31/05/2018 - 16h24min. Alterada em 31/05 às 16h24min

Alemanha considera 'ilegal' reimposição de tarifas de aço e alumínio pelos EUA

Para Angela Merkel, medida pode provocar 'perigosa espiral de escalada, que vai prejudicar a todos'

Para Angela Merkel, medida pode provocar 'perigosa espiral de escalada, que vai prejudicar a todos'


Odd ANDERSEN /AFP/JC
O governo da Alemanha considerou que a suspensão da isenção de tarifas de importação de aço e alumínio da União Europeia pelos Estados Unidos é uma medida "ilegal". Anunciada nesta quinta-feira (31) pela manhã, a medida volta a impor barreira tarifária de 25% sobre as importações de aço e 10% sobre as de alumínio. Além da UE, o México e o Canadá terão de pagar a taxa.
O governo da Alemanha considerou que a suspensão da isenção de tarifas de importação de aço e alumínio da União Europeia pelos Estados Unidos é uma medida "ilegal". Anunciada nesta quinta-feira (31) pela manhã, a medida volta a impor barreira tarifária de 25% sobre as importações de aço e 10% sobre as de alumínio. Além da UE, o México e o Canadá terão de pagar a taxa.
"Esta medida pode provocar uma perigosa espiral de escalada, que vai prejudicar a todos", disse, em nota, a chanceler alemã, Angela Merkel. Já o ministro de Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, disse que a União Europeia "está pronta para reagir com uma contramedida".