Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de maio de 2018.
Dia da Saúde.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Paralisação

Notícia da edição impressa de 29/05/2018. Alterada em 28/05 às 21h28min

Hospitais de Porto Alegre suspendem as cirurgias eletivas por falta de insumos

Isabela Sander
Em função do desabastecimento de medicamentos e insumos, hospitais de Porto Alegre anunciaram a suspensão temporária de cirurgias eletivas. O Grupo Hospitalar Conceição (GHC), o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) e o Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) já anunciaram a medida.
O GHC anunciou suspensão das cirurgias eletivas até o fim da greve em pacientes que ainda não estão internados. A exceção é de pacientes da oncologia, os quais terão suas cirurgias mantidas mesmo que não estejam internados. As cirurgias de emergência estão mantidas. A assessoria de imprensa do grupo informa que a medida se dá como forma de racionar os insumos e priorizar as situações mais graves, mas que os hospitais ainda não registram falta de nenhum material.
Em seu Twitter, o Clínicas relatou que, devido ao desabastecimento de medicamentos e insumos, precisou cancelar a realização de cirurgias eletivas de qualquer tipo durante 48 horas, para poder seguir realizando os procedimentos de urgência. Mesmo pacientes já internados precisarão aguardar o prazo para passarem pela cirurgia agendada. Após as 48 horas, o hospital avaliará as condições nas quais o estoque se encontra.
Em nota, o Hospital São Lucas da Pucrs também comunicou a suspensão temporária de cirurgias eletivas no centro cirúrgico. Os procedimentos serão mantidos para pacientes já internados e pessoas que precisarem de cirurgias de emergência.
A Santa Casa de Misericórdia está acompanhando a quantidade de materiais em seus estoques para verificar quais medidas serão adotadas nos próximos dias para a manutenção de suas atividades hospitalares. Por enquanto, as cirurgias eletivas estão mantidas, e os funcionários estão, em sua maioria, cumprindo as jornadas de trabalho regularmente. Caso necessário, o Gabinete de Crise do governo do Estado será acionado para interceder junto aos fornecedores.
Entre os hospitais privados, o Hospital Moinhos de Vento mantém a normalidade das operações hospitalares e atua com um plano de contingenciamento desde a quarta-feira passada. Por enquanto, os atendimentos ambulatoriais, consultórios, pronto-atendimentos e cirurgias estão mantidos. O Hospital Mãe de Deus também mantém atendimento normal.
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Porto Alegre informa que está acompanhando e orientando os hospitais públicos e particulares da Capital em relação a seus recursos, a dificuldade de deslocamento dos pacientes, os insumos e os medicamentos disponíveis para a realização de procedimentos. Segundo a pasta, o Banco de Olhos e o Hospital da Brigada Militar tiveram suas cirurgias eletivas suspensas. O Hospital Vila Nova garante os procedimentos ao menos até amanhã. Os hospitais Ernesto Dorneles, Independência, Presidente Vargas e Divina Providência atendem normalmente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia