Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 26 de maio de 2018.
Nossa Senhora de Caravaggio - feriado em Caxias do Sul.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

negócios corporativos

Alterada em 26/05 às 10h50min

Odebrecht paga dívida de R$ 500 milhões vencida em abril

A Odebrecht Engenharia e Construção pagou na sexta-feira (25), os R$ 500 milhões em títulos vencidos em abril e US$ 11 milhões (R$ 40 milhões, pela cotação de sexta) em juros referente aos títulos de 2025. Para fazer o pagamento, bancos anteciparam parte dos R$ 2,6 bilhões de empréstimo para o grupo. Do total acordado com os bancos, a Odebrecht vai destinar R$ 1,32 bilhão (incluindo o volume liberado na sexta) para a construtora ao longo de 2018.
O grupo oficializou na sexta o acordo firmado com os bancos, conforme antecipou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. Em nota, a empresa confirmou que os R$ 2,6 bilhões serão divididos igualmente entre Itaú e Bradesco, e liberados em duas etapas: uma agora, no valor de R$ 1,7 bilhão; e outra de R$ 900 milhões, até o fim do ano.
O acordo envolveu também Banco do Brasil, Santander e BNDES, pois teve como lastro a valorização de ações da Braskem usadas como garantias de empréstimos anteriores junto a essas instituições.
"A conclusão da negociação com os bancos também traz mais segurança à Odebrecht para honrar seus compromissos financeiros, inclusive os decorrentes dos acordos assinados com as autoridades no âmbito do seu Acordo de Leniência, e continuar na sua trajetória de transformação e crescimento", destaca a companhia.
"Além de ser mais uma demonstração de confiança do sistema financeiro, o acordo que acabamos de assinar é a maior prova da confiança dos acionistas na capacidade dos nossos integrantes e nas qualificações técnicas das empresas do Grupo para a entrega de produtos e serviços de qualidade, em especial da Odebrecht Engenharia e Construção", afirmou, em nota, o diretor-presidente da Odebrecht S.A., Luciano Guidolin.
Com o acordo fechado, agora a empresa deve concentrar seus esforços numa solução para a petroquímica Braskem e na venda de outros ativos do grupo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia