Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Agronegócios

11/05/2018 - 19h13min. Alterada em 11/05 às 19h13min

Aplicação do crédito rural da atual safra alcança R$ 117,6 bilhões

Agência Brasil
Faltando dois meses para finalizar a execução do Plano Agropecuário 2017/2018, médios e grandes produtores rurais contrataram R$ 117,6 bilhões de instituições financeiras, de julho de 2017 a abril deste ano, aumento de 13,2% em relação a igual período do ciclo anterior. O montante representa 62,4% do total anunciado pelo governo federal para financiar a agricultura brasileira.
Faltando dois meses para finalizar a execução do Plano Agropecuário 2017/2018, médios e grandes produtores rurais contrataram R$ 117,6 bilhões de instituições financeiras, de julho de 2017 a abril deste ano, aumento de 13,2% em relação a igual período do ciclo anterior. O montante representa 62,4% do total anunciado pelo governo federal para financiar a agricultura brasileira.
Os dados constam do Relatório de Financiamento Agropecuário referente aos dez meses de liberação de recursos da atual safra, divulgado nesta sexta-feira (11) pela Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Segunda a pasta, as instituições financeiras liberaram R$ 93,4 bilhões para operações de custeio (compra de insumos, como fertilizantes, sementes e defensivos agrícolas), comercialização e industrialização, e R$ 24,2 bilhões para investimentos.
O secretário de Política Agrícola, Wilson Vaz de Araújo, destacou o aumento dos financiamentos para investimentos agropecuários, "notadamente, os destinados à ampliação da capacidade de armazenagem, à inovação tecnológica, à agricultura de baixa emissão de carbono e à modernização da Agricultura e Conservação dos Recursos Naturais (Programa ABC)".
Os empréstimos para o Programa de Inovação Tecnológica na Propriedade Rural (Inovagro) atingiram R$ 830 milhões, com aumento de 132,3%. As aplicações no Programa para Construção e Ampliação de Armazéns aumentaram 91%, somando R$ 579 milhões. Já o Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (Programa ABC) teve incremento de 50,5%, saltando de R$ 827 milhões para R$ 1,2 bilhão.
Os desembolsos no período totalizaram R$ 81,5 bilhões para a atividade agrícola e R$ 36 bilhões para a pecuária.