Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 07 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 08/05/2018. Alterada em 07/05 às 21h49min

Captação da poupança em abril é a melhor desde 2013

Pelo segundo mês seguido, a caderneta de poupança voltou a ter mais depósitos do que saques. Segundo o Banco Central (BC), a captação foi de R$ 1,237 bilhão em abril. É o melhor desempenho para o mês desde 2013. No primeiro bimestre, a caderneta de poupança perdeu R$ 5,9 bilhões.
Normalmente, as famílias recorrem às economias feitas para pagar as contas de início do ano como impostos, material escolar e gastos com as férias. Mesmo com o resultado positivo de março e abril, a aplicação mais popular ainda acumula uma saída líquida de R$ 694 milhões no acumulado do ano.
Com a queda dos juros e a inflação baixa, a poupança volta procurada por pequenos poupadores, que não têm acesso às baixas taxas de administração em fundos de investimento como os grandes aplicadores. O fato de não incidir Imposto de Renda nas aplicações da poupança também ajuda.
Atualmente, o brasileiro guarda R$ 735,4 bilhões na poupança. Somente no mês passado, os bancos pagaram R$ 2,8 bilhões de rendimentos sobre esses recursos. Depósitos rendem 0,37155 ao mês.
Apenas os aportes feitos antes da mudança da lei pelo governo Dilma Rousseff crescem a uma taxa de 0,5% ao mês. Esse rendimento maior é apenas para os recursos aplicados até 3 de maio de 2012 e que não foram sacados até hoje.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia