Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria automotiva

Alterada em 02/05 às 19h46min

Após encontro com Temer, Toyota anuncia 3º turno em fábricas em São Paulo

O presidente da Toyota Brasil, Rafael Chang, anunciou nesta quarta-feira (22), que a empresa automotiva irá criar o terceiro turno para os trabalhadores de duas plantas da montadora no País: em Sorocaba e Porto Feliz, ambas no interior de São Paulo. Chang disse que serão 1.570 empregos a mais, sendo 870 nas próprias fábricas da Toyota e 700 na rede de fornecedores. O anúncio foi feito após encontro de Chang com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, em Brasília.
"A Toyota Brasil vai iniciar o terceiro turno, em Sorocaba e Porto Feliz, a partir do mês de novembro. Isso vai significar a criação de 1.570 empregos, 870 em nossas fábricas e mais 700 empregos em nossa rede de fornecedores", afirmou Chang em entrevista coletiva.
Além de Chang e Temer, o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, também esteve no encontro. O terceiro turno irá aumentar a capacidade de produção da Toyota de 108 mil unidades/ano para 160 mil unidades/ano.
Chang elogiou a proposta conhecida como Rota 2030, novo regime automotivo que terá duração de 15 anos. Previsto para entrar em vigor em janeiro, o programa segue pendente em razão da falta de consenso entre o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) - favorável ao projeto - e a Fazenda - contrária a incentivos às montadoras.
"Isso (Rota 2030) que estamos esperando vai dar muita previsibilidade para as empresas fazerem investimento", defendeu "O mundo está caminhando para novas tecnologias e o Brasil não pode ficar fora desse jogo, a Rota 20/30 vai dar muitos componentes de competitividade para o Brasil: segurança, eficiência energética...", afirmou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia