Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 27 de maio de 2018.
Dia Mundial dos Meios de Comunicação.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

CINEMA

Notícia da edição impressa de 28/05/2018. Alterada em 25/05 às 17h22min

Um jovem Han Solo: Alden Ehrenreich é protagonista em filme derivado de Star Wars

Han Solo: uma história Star Wars tem missão de colocar nos trilhos a saga criada por George Lucas

Han Solo: uma história Star Wars tem missão de colocar nos trilhos a saga criada por George Lucas


JONATHAN OLLEY/DIVULGAÇÃO/JC
Quando a Disney retomou a saga Star Wars com O despertar da força, em 2015, não havia desconfiança sobre o sucesso da nova empreitada. O filme de J.J. Abrams foi bem recebido pela crítica e rendeu US$ 2 bilhões (R$ 7,3 bilhões).
A Força, contudo, sofreu um pequeno abalo no ano passado, quando Os últimos Jedi, de Rian Johnson, foi repudiado por muitos fãs e rendeu cerca de US$ 800 milhões (quase R$ 3 bilhões) a menos. Nos cinemas desde a quinta-feira passada, Han Solo: uma história Star Wars tem a missão de colocar nos trilhos a saga criada por George Lucas e provar que a franquia ainda tem fôlego.
O longa, que conta a origem do piloto contrabandista, tem os bastidores mais turbulentos da série. Han Solo começou a ser filmado em janeiro de 2017 pelos diretores Phil Lord e Christopher Miller, dos sucessos de bilheteria Anjos da lei (2012) e Uma aventura Lego (2014). A dupla entregou pedidos de mudança para os roteiristas Lawrence Kasdan (de O Império contra-ataca) e seu filho Jonathan - sugestões aceitas ou adaptadas para o espírito da franquia.
Mas o estilo despojado de Lord e Miller começou a colidir com a estrutura rígida do negócio multibilionário. Os cineastas passaram a improvisar, adicionando falas e movimentos de câmera. Além disso, permitiram que os atores alterassem os diálogos.
Kasdan, também produtor executivo do longa, não gostou e exigiu que as falas fossem lidas sem mudanças. A dupla seguiu com as improvisações, mas filmou também takes com os diálogos literais.
A coisa desandou em maio, quando a produção foi de Londres para as Ilhas Canárias. Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm, insatisfeita com o andamento das coisas, demitiu o editor Chris Dickens (ganhador do Oscar por Quem quer ser um milionário?) e chamou Pietro Scalia, o favorito de Ridley Scott.
Ela também contratou uma professora de atuação para o ator Alden Ehrenreich, dono do papel do contrabandista intergaláctico que ganhou fama com Harrison Ford. Lord e Miller continuaram apostando no improviso e reclamaram da falta de liberdade criativa. Kathleen demitiu a dupla a três semanas do fim das filmagens.
"Quando você trabalha todas as manhãs em um filme de Star Wars, há milhares de pessoas à sua espera. Você precisa ser rápido e decisivo", disse Kasdan à revista Variety. Kathleen Kennedy levou isso a sério: em poucos dias, contratou Ron Howard, amigo de Lucas e conhecido pela rapidez e pelo bom relacionamento com executivos.
Howard assumiu em junho um projeto que acabaria em julho. Ganhou quatro meses e refilmou cerca de 70% do filme, elevando o orçamento para US$ 250 milhões. Lord e Miller ficaram com o crédito de produtores executivos. "(A dupla) produziu bastante, mas diferenças criativas impediram que fosse em frente", contou Howard à imprensa, em Los Angeles. "Várias coisas funcionavam e gostaríamos de mantê-las. Mas havia material ainda não produzido e certas cenas em que pude experimentar." A entrada do cineasta, veterano com duas estatuetas do Oscar na estante, provocou mudanças no roteiro dos Kasdans.
Do caldeirão saiu um filme mais infantojuvenil, similar ao clima da trilogia original. No começo do longa, os fãs veem o protagonista como um rapaz lutando para sobreviver, tendo como companheira Qi'ra (Emilia Clarke). Os dois planejam fugir de seu planeta natal, Corellia, mas apenas Han consegue, prometendo voltar para resgatá-la. Uma guerra e alguns anos depois, ele trabalha com o criminoso Tobias Beckett (Woody Harrelson).
O enredo ainda inclui o primeiro voo na Millenium Falcon e participações de Chewbacca (agora interpretado inteiramente por Joonas Suotamo) e Lando Calrissian (Donald Glover), dois personagens bem conhecidos pelo público. Para Ron Howard, os relacionamentos eram fundamentais. "Essa é a jornada de Han Solo, mas esses relacionamentos são muito importantes para esse jovem", acredita. Já para Alden Ehrenreich, responsável pelo papel principal, o público vai ver um lado do protagonista que não espera. "Quase um sonhador, idealista, algo que não associamos a ele", aponta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia