Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 08/05/2018. Alterada em 08/05 às 13h32min

Redução da desigualdade

Tá na Mesa na Federasul com o ministro de Desenvolvimento Agrário, Osmar Terra.

Tá na Mesa na Federasul com o ministro de Desenvolvimento Agrário, Osmar Terra.


MARCELO G. RIBEIRO/JC
"Os governos do PT inventaram a redução da desigualdade no Brasil", dispara o deputado federal gaúcho Osmar Terra (PMDB). O ex-ministro do Ministério do Desenvolvimento Social adverte que existe uma história inventada de que os governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) diminuíram as desigualdades no País. "Não é verdade. Lidei com esses dados. A desigualdade aumentou em todas as pesquisas feitas. Quem diz isso não sou eu, nem o IBGE ou o Ipea, mas Thomas Piketty, o grande teórico, economista neomarxista dos tempos modernos". Terra acentua: "está nos jornais, os 10% mais ricos da população, que em 2003 ficavam com 51% da renda, em 2017 atingiram 55% da renda. Está na cara que não diminuiu a desigualdade no Brasil".
Outra mentira, diz Terra
O deputado recorda a campanha nacional "Natal Sem Fome", quando artistas vinculados à oposição ao presidente Michel Temer (PMDB) tiraram fotos com um prato vazio, dizendo que agora voltou a fome no Brasil. "É outra mentira", frisa o peemedebista. Terra argumenta que demorou um tempo para a Unesco responder à consulta sobre os dados da fome no Brasil, "para depois informar que eram dados da FAO de 2013, quando o PT presidia o País".
PT contesta o ex-ministro
O deputado federal gaúcho Marco Maia (PT), ex-presidente da Câmara, contesta Osmar Terra e salienta que "nosso deputado se equivoca ao querer combater o PT, e não defender o que ele fez quando foi ministro do Desenvolvimento Social, que foi, na verdade, reduzir o número de pessoas beneficiadas com o Bolsa Família com um canetaço". Segundo o parlamentar, "isso sem uma análise técnica consistente que justificasse a decisão. Apenas no ano de 2017, foram mais de 500 mil pessoas que deixaram de receber o Bolsa Família", argumenta Maia.
Governo para os ricos
Marco Maia também contra-ataca, afirmando que o governo Temer, nestes últimos dois anos, encerrou um conjunto de programas de ações sociais que "atendiam exatamente os mais pobres, justificando com isso aquela que tem sido a maior pecha do governo Temer, que é a de governar para os ricos, e não para os pobres". Segundo o parlamentar petista, "o exemplo mais real disso é que agora, no 1º de Maio, o presidente Michel Temer teve a desfaçatez de ir à televisão e dizer que iria reajustar o valor do Bolsa Família, sem dizer o tamanho do reajuste. Ele não disse por quê? Porque o reajuste que foi dado ao Bolsa Família foi de apenas R$ 10,00, quer dizer, um reajuste completamente insignificante".
Brasil no mapa da fome
"É sempre bom também ressaltar que, nesses anos sob a batuta do nosso querido deputado Osmar Terra no Ministério do Desenvolvimento Social, o Brasil foi incluído de novo no mapa da fome da ONU. Nós já tínhamos saído há 10 anos dessa situação", enfatizou. Para o ex-presidente da Câmara dos Deputados, "a política implementada pelo governo nesses últimos dois anos foi uma política de redução de direitos, de diminuição de investimento público nas áreas sociais, e principalmente de fortalecimento de políticas voltadas para os mais ricos".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia