Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 21 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

direitos humanos

Alterada em 21/04 às 14h22min

Polícia marca para maio reconstituição do assassinato de Marielle Franco

Agência Brasil
O secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, general Richard Nunes, anunciou neste sábado (21) que a Delegacia de Homicídios (DH) realizará nos primeiros dias de maio uma reconstituição do atentado ocorrido na noite de 14 de março, no centro da cidade, que resultou nas mortes da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes.
Segundo o secretário, que participou, na manhã deste sábado, do desfile cívico em homenagem a Tiradentes, patrono da Polícia Militar, o dia da reconstituição ainda será definido, uma vez que a simulação é complexa e dependerá de uma data com as mesmas circunstâncias da verificada no dia do atentado.
"Por isso, não poderemos trabalhar em uma data com condições [climáticas] distintas da do dia do atentado". A avaliação do secretário é de que a reprodução ajudará muito "na compreensão da dinâmica do crime e a confrontar as diferentes versões das testemunhas", o que levará a uma visão mais completa do fato e contribuir com as investigações.
Durante a entrevista o general Richard Nunes informou que as forças de segurança do estado estão trabalhando para recuperar a capacidade operacional e que, na próxima semana, estarão sendo entregues à Policia Militar 265 novas viaturas para o patrulhamento ostensivo da cidade.
Ao comentar as recentes ações do setor de inteligência da polícia voltadas para o combate às miliciais, principalmente na zona oeste e Baixada Fluminense, o general Richard Nunes afirmou que ações desse tipo serão intensificadas, a partir do trabalho das delegacias especializadas, em parceria com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia