Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Notícia da edição impressa de 19/04/2018. Alterada em 18/04 às 21h26min

'Ideal é que Aécio não seja candidato', diz Alckmin

PSDB busca evitar que caso Aécio atrapalhe candidatura de Alckmin

PSDB busca evitar que caso Aécio atrapalhe candidatura de Alckmin


FREDY VIEIRA/JC/FREDY VIEIRA/JC
Presidente do PSDB e pré-candidato do partido ao Planalto, Geraldo Alckmin afirmou ontem ser "evidente" que o melhor cenário para a sigla é que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) não concorra às eleições deste ano. Em entrevista à rádio Bandeirantes, o ex-governador disse, no entanto, que espera que a decisão parta do próprio Aécio e seja anunciada "nos próximos dias".
"Aécio sabe o que penso, é claro que o ideal é que não seja candidato, é evidente. Acho que ele mesmo, assim como tomou a decisão de se afastar da presidência do partido (quando surgiu a denúncia), tomará essa decisão. Vamos aguardar a decisão dele. Tenho certeza que vai tomar e se dedicar à questão processual e à defesa", disse Alckmin. O ex-governador de São Paulo afirmou ainda que o episódio envolvendo Aécio, que foi o candidato do partido na eleição presidencial em 2014, é "muito ruim". "Mas o que se faz numa democracia: o Judiciário toma as medidas que tem que tomar, a pessoa se defende e é julgada", emendou.
Em resposta, Aécio sugeriu que a decisão não compete a Alckmin. "Isso será resolvido em Minas Gerais, como sempre foi, pelos mineiros, no tempo correto, levando obviamente em consideração todas as circunstâncias", disse o senador à imprensa.
Na terça-feira, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) tornou o senador tucano réu pelos crimes de corrupção passiva e obstrução da Justiça. Após a decisão, congressistas do PSDB procuraram dissociar o caso da imagem da legenda, na tentativa de evitar uma contaminação da candidatura de Alckmin ao Planalto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia