Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

06/04/2018 - 16h54min. Alterada em 06/04 às 17h17min

'Lula vai continuar, dentro ou fora da cadeia, a ter influência nas eleições', diz Gabeira

Gabeira acha que a Lava Jato pode entrar na fase final, após STF decidir sobre caso Lula

Gabeira acha que a Lava Jato pode entrar na fase final, após STF decidir sobre caso Lula


Rodrigo Westermann Blum/Unisinos/Divulgação/JC
Bruna Oliveira
Conferencista de abertura da Virada Sustentável, em Porto Alegre, o jornalista e ex-deputado federal Fernando Gabeira não escapou de analisar o ambiente político explosivo com a condenação e ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Para Gabeira, Lula, mesmo sem poder concorrer devido à Lei da Ficha e com o reforço da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), vai continuar a ter influência na sucessão.   
"Agora, mais do nunca, ele (Lula) está eliminado da disputa, mas vai continuar, dentro ou fora da cadeia, a ter influência na eleição", espera o jornalista, que esteve nesta sexta-feira (6) em Porto Alegre. Sobre a disputa eleitoral a presidente, o jornalista cita que a corrida terá os candidatos já conhecidos e "pode ter surpresa". Ele avalia que, em 15 dias, será possível ter um quadro mais estável para analisar o futuro do pleito.
> VÍDEOS JC: Gabeira falou sobre Lava Jato e eleições: 
Gabeira também qualificou o momento político que vive o Brasil como "muito decisivo". O ex-deputado considerou que o STF fez "uma discussão importantíssima sobre o futuro do processo de luta contra a corrupção ao recusar o habeas corpus pedido pelo ex-presidente". Com isso, manteve entendimento que já havia de 2016 sobre a prisão para condenados em 2ª instância.
"Isto permite que a Lava Jato entre na fase final, que conclua o seu trabalho para que possamos entrar em período eleitoral, onde não mais o destino de algumas pessoas seja decidido, mas o destino do País", frisou o jornalista.
Ele falou rapidamente com o Jornal do Comércio após a conferência, na qual preveniu que não falaria de fatos políticos. "Vivemos o momento de transição entre o fim da Lava Jato e o início de uma reavaliação do Brasil em uma nova escolha que vai se materializar nas eleições presidenciais", completou. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia