Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 24 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Relações exteriores

Notícia da edição impressa de 25/04/2018. Alterada em 24/04 às 22h50min

Acordo nuclear com o Irã é 'ridículo', afirma Trump

Diante do presidente da França, Emmanuel Macron - que faz sua primeira visita de Estado aos EUA -, Donald Trump afirmou que o atual acordo nuclear com o Irã é "ridículo". "Foi um acordo terrível, e iremos discuti-lo", declarou o presidente norte-americano. "É insano, é ridículo. Nunca deveria ter sido feito."
Macron defendeu que se mantenha o acordo, negociado durante a administração de Barack Obama, e disse que é preciso considerar a segurança no Oriente Médio. "Temos a Síria, temos eleições próximas no Iraque, precisamos de estabilidade para preservar nossa aliança na região. O acordo é parte desse contexto", alegou o francês.
O atual termo impõe travas ao programa iraniano em troca de alívio nas sanções internacionais. Trump é um crítico feroz da negociação e afirmou que os EUA gastaram "barris de dinheiro", e, mesmo assim, Teerã continua a fazer testes balísticos e a disparar mísseis. Já Macron argumenta que os EUA e os outros países aliados têm um papel "muito importante" na estabilidade da região, e que o Irã, principal aliado do presidente sírio, Bashar al-Assad, pode invadir a Síria se os outros países se retirarem.
Esta é a primeira visita de Estado de um líder estrangeiro nos EUA desde a eleição de Trump, em novembro de 2016. Macron ficará no país por três dias.

Teerã 'reagirá firmemente' se EUA voltar atrás, diz Rouhani

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, fez um alerta ontem para que os Estados Unidos mantenham o acordo nuclear, ou irão "enfrentar consequências severas". Em discurso transmitido pela emissora estatal do país, o mandatário disse que Teerã vai "reagir firmemente" se a Casa Branca não "cumprir seus compromissos".
Assinado em 2015 por cinco membros do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e a Alemanha, o acordo previa o fim de sanções resultantes do programa nuclear iraniano, desde que Teerã encerrasse o braço balístico das pesquisas. Em setembro de 2017, porém, o país anunciou testes com um novo míssil de médio alcance. O presidente dos EUA, Donald Trump, tem até 12 de maio para renovar o acordo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia