Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 24 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Canadá

Alterada em 24/04 às 11h18min

Número de mortos em acidente em Toronto sobe para dez

A bandeira canadense foi estendida ontem (23) na frente da prefeitura de Toronto em alusão às vítimas

A bandeira canadense foi estendida ontem (23) na frente da prefeitura de Toronto em alusão às vítimas


COLE BURSTON/AFP/JC
Um homem de 25 anos foi o responsável por dirigir uma van alugada em uma rua movimentada de Toronto na segunda-feira (24) e deixou ao menos dez mortos e 15 feridos em um incidente. A polícia canadense disse que prendeu Alek Minassian, de Richmond Hill, Ontario, após um breve período de tempo depois que o incidente ocorreu. O motivo para o ato ainda não foi é conhecido.
"Não podemos chegar a nenhuma conclusão firme neste momento", disse o ministro de Segurança Pública do Canadá, Ralph Goodale. Ele não se referiu à ação como ataque terrorista e disse, apenas, que se tratava de um "incidente muito sério". A polícia de Toronto, no entanto, afirmou que o ataque "parece ter sido intencional".
A van pulou na calçada por volta das 13h30 desta segunda (horário local), atingindo os pedestres. A polícia disse que 26 minutos se passaram entre a primeira ligação ao serviço de emergência e a prisão do motorista. "Estou sem palavras. Não posso acreditar que isso tenha acontecido aqui. Coisas assim não acontecem no Canadá", disse a enfermeira Melissa Phillips, que passeava com seu cachorro na noite desta segunda-feira, a poucos passos de onde pedestres haviam sido atingidos mais cedo. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia