Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

coreia do sul

Alterada em 06/04 às 09h19min

Ex-presidente da Coreia do Sul é condenada a 24 anos de prisão

Park Geun-hye está presa desde março de 2017 e nega todos os crimes

Park Geun-hye está presa desde março de 2017 e nega todos os crimes


NELSON ALMEIDA/AFP/JC
Folhapress
A ex-presidente da Coreia do Sul Park Geun-hye, 66, foi condenada nesta sexta (6) a 24 anos de prisão por abuso de poder e corrupção, em escândalo que provocou o seu impeachment em março de 2017. Ela foi deposta sob a acusação de subornar conglomerados como Samsung, Hyundai e LG, a doarem a fundações de sua melhor amiga, Choi Soon-sil, em troca de favores.
Park Geun-hye foi a primeira presidente a ser deposta em um impeachment desde a divisão da Península Coreana, em 1948. O único a passar por processo similar foi Roh Moo-hyun, absolvido pela Justiça em 2004.
O tribunal também multou Park, que é filha de um ex-ditador militar, em cerca 18 bilhões de wons (cerca de 16,9 milhões de dólares).
Park Geun-hye chega a julgamento em agosto de 2017; ela não estave presente na corte no dia de sua condenação. A ex-presidente, que está presa desde o dia 31 de março de 2017, nega todos os crimes e não estava presente no tribunal nesta sexta.
Apoiadores da Park Geun-hye realizaram um protesto em frente à corte em Seul.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia