Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 28 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Crime

27/04/2018 - 23h15min. Alterada em 28/04 às 07h57min

Avião abatido pela FAB transportava 500 quilos de pasta base de cocaína

A aeronave interceptada pela Força Aérea Brasileira (FAB) na quarta-feira (25), transportava 500 quilos de pasta base de cocaína. A informação foi confirmada pelo Cipoaer (PM/MT), que realiza operação no Pantanal em busca dos destroços do aeronave que está submersa.
Três aeronaves A-29 e um avião-radar E-99 participaram da interceptação, que seguiu, segundo a assessoria da FAB, todas as medidas de policiamento do espaço aéreo, incluindo o tiro de aviso, até chegar à última medida prevista: o tiro de detenção. A operação que culminou com o abate da aeronave começou em Mato Grosso. O piloto da FAB ordenou a mudança de rota e o pouso obrigatório no aeródromo de Cuiabá (MT), porém o piloto do avião interceptado não obedeceu.
Foi necessário que a defesa aérea comandasse o tiro de aviso, informando que o avião interceptado deveria pousar no aeródromo mais próximo. Ainda sem retorno, foi disparado o tiro de detenção. Após a execução do tiro de detenção, a aeronave, que não tinha plano de voo, fez pouso forçado em um lago localizado na área do Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, quando então foi feita a apreensão da carga ilegal da aeronave pela Polícia Federal e pela Policia Militar de Mato Grosso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia