Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Libertadores

Alterada em 04/04 às 08h49min

Palmeiras passa fácil pelo Alianza Lima em 'aquecimento' para clássico

Equipe garantiu a vitória por 2 a 0 mesmo poupando titulares para decisão do estadual no domingo

Equipe garantiu a vitória por 2 a 0 mesmo poupando titulares para decisão do estadual no domingo


NELSON ALMEIDA /AFP/JC
A Copa Libertadores, quem diria, virou um treino de luxo para o Palmeiras no Allianz Parque na noite desta terça-feira (3). Focado na decisão do Campeonato Paulista contra o Corinthians, no domingo, a equipe poupou alguns titulares, diminuiu o ritmo e ainda assim dominou o frágil Alianza Lima, do Peru. A vitória por 2 a 0 veio em raro momento de inversão de papéis, pois o torneio continental se transformou em um aquecimento para o Estadual.
Embora a Libertadores seja a prioridade no ano e entoada pela torcida no estádio como obsessão, a semana atípica marcada pela final do Paulista contra o maior rival mudou um pouco a lista de prioridades. Pelo menos esta situação não mexeu no bom futebol da equipe.
Apesar de mudanças na formação e de não pisar fundo no acelerador, o Palmeiras chegou à segunda vitória na competição e se firmou na liderança do Grupo H, com seis pontos. O Alianza Lima segue com apenas um, ainda na terceira colocação da chave. Na quarta, o Boca Juniors vai receber o Junior Barranquilla, na Argentina, pela segunda rodada do mesmo grupo.
A preocupação com o desgaste de jogadores para a final do Paulista levou o Palmeiras a ter quatro alterações na formação titular. O zelo era válido para evitar lesões, porém poderia ter sido ainda maior. A fragilidade dos peruanos possibilitava ter feito mais alterações no time.
O temor antes do jogo era ficar preso na retranca peruana. Ao longo da partida, porém, o técnico Roger Machado passou a ficar apreensivo com o relaxamento do time. O Palmeiras abriu o placar aos dez minutos, com Thiago Martins, que aproveitou o rebote vindo da trave depois de uma cabeçada. A vantagem deixou tudo tão encaminhado que a equipe ficou desconcentrada diante de tamanha facilidade.
Até os 20 minutos de partida foram mais duas chances claras, com uma bola na trave e presença constante na área adversária. Lucas Lima tinha liberdade para criar, Keno atacava sem ser incomodado e Dudu não tinha marcação. O Palmeiras não aproveitou o domínio e pareceu empolgado pela facilidade ao ponto de finalizar pouco. A equipe parecia querer entrar com a bola no gol em vez de ser objetiva.
O Alianza Lima demorou para conseguir atacar. As primeiras investidas foram no fim do primeiro tempo, principalmente ao roubar bolas de um adversário desatento. A expectativa para o segundo tempo era saber se o jogo se definiria por um descuido do desconcentrado Palmeiras ou pela fraqueza peruana. Pesou a segunda opção.
No primeiro minuto da etapa final, Keno cruzou, o goleiro Prieto (reserva do time) falhou e deixou livre para Borja fazer 2 a 0. O jogo estava resolvido. Depois disso, o Palmeiras administrou o ritmo e esperou o tempo passar. Falta um dia a menos para a decisão contra o Corinthians.
O Palmeiras volta a campo pela Libertadores já na próxima semana, no dia 11 (quarta-feira) para receber o Boca Juniors no Allianz Parque.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia