Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 29 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

INDÚSTRIA

Notícia da edição impressa de 30/04/2018. Alterada em 29/04 às 19h38min

Rio Grande do Sul melhora posição em índice industrial

Cervejaria Irmãos Ferraro, de Porto Alegre, fez mais de 50 solicitações por códigos de barras padrão GS1

Cervejaria Irmãos Ferraro, de Porto Alegre, fez mais de 50 solicitações por códigos de barras padrão GS1


/IRMÃOS FERRADO/DIVULGAÇÃO/JC
Carolina Hickmann
O Estado teve aumento de 8,7% de sua atividade industrial na comparação do 1º trimestre de 2018 com o mesmo período de 2017, segundo indicador da Associação Brasileira de Automação - GS1 Brasil. O dado é o melhor para o período desde 2015. Em nível nacional, o índice também foi positivo no período (13,2%), impulsionado pelas regiões Sudeste (33%) e Sul (15,1%). O índice é medido pela procura por códigos de barras padrão GS1, que são utilizados para identificar produtos, unidades logísticas, localizações, contêineres e cargas, proporcionando rastreabilidade e conferindo automação aos processos industriais.
Entre os setores analisados no País, todos mostraram variações positivas. Foram os dados da indústria têxtil, por outro lado, os de melhor resultados nas possibilidades de lançamento de novos produtos. Com o melhor número desde 2010, o segmento destaca-se com variação positiva de 173% no trimestre, pela comparação com o mesmo período do ano passado, quando a variação do índice era de 12%.
Pela análise do presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Fernando Pimentel, é importante que haja "indicadores antecedentes", como o proposto pela GS1, que servem como termômetro para a indústria. Porém, ele diz não ser possível garantir uma recuperação significativa no setor pelo constatado pelas empresas até aqui, uma vez que o andamento do trimestre está bastante semelhante ao observado no ano anterior. Pela sua avaliação, o índice demonstra a intenção do segmento em melhorar os seus critérios de rastreabilidade e processo produtivo.
Localmente, o total dos setores no Estado apresentaram queda na comparação entre o índice de março e fevereiro, tanto em seu dado original (-17,8%), quando no dessazonalizado (-39%). O resultado positivo observado no trimestre (8,7%) está ligado ao desempenho fora da curva da indústria no segundo mês do ano, quando houve aumento de 59,7% no dado dessazonalizado mês a mês.
Lançada em 2009, a cervejaria Irmãos Ferraro, de Porto Alegre, fez mais de 50 solicitações por códigos padrão GS1 - tanto para produtos de sua linha fixa anual, quanto para edições de produtos sazonais. A empresa também é responsável por compor os números do primeiro trimestre, uma vez que introduziu no mercado dois novos produtos em sua linha sazonal, hoje composta por 15 rótulos.
Um dos sócios da cervejaria, Rodrigo Ferraro lembra que a utilização do padrão GS1 auxiliou na expansão dos negócios. "Sentimos a necessidade da inserção dos códigos de barras com apenas 6 meses de empresa em funcionamento por sua praticidade", comenta, ao salientar que a implementação fez com que a Irmãos Ferraro difundisse seu mercado para 17 estados e 119 pontos de venda.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia