Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

reforma trabalhista

24/04/2018 - 20h02min. Alterada em 24/04 às 20h02min

Marun: governo entende que reforma trabalhista já está produzindo efeitos

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse nesta terça-feira (24), que a medida provisória da reforma trabalhista não foi uma prioridade do governo e por isso caducou na segunda-feira (23). Ele afirmou também que mesmo sem a MP a reforma trabalhista já está sendo eficaz. "O nosso entendimento e do parlamento é de que a reforma trabalhista já está produzindo efeitos positivos concretos e suficientes no sentido em que ela continue valendo até da forma que está", destacou em coletiva de imprensa.
O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse nesta terça-feira (24), que a medida provisória da reforma trabalhista não foi uma prioridade do governo e por isso caducou na segunda-feira (23). Ele afirmou também que mesmo sem a MP a reforma trabalhista já está sendo eficaz. "O nosso entendimento e do parlamento é de que a reforma trabalhista já está produzindo efeitos positivos concretos e suficientes no sentido em que ela continue valendo até da forma que está", destacou em coletiva de imprensa.
Segundo Marun, ao editar a MP, o governo pensou em alguns aprimoramentos, mas "isso acabou não se transformando em uma prioridade. Essa é a realidade", disse.
Ao ser questionado se então o acordo que o governo fez na época com os senadores - de ajustar alguns pontos na reforma por meio da MP - não estaria mais valendo, Marun confirmou que o governo estuda o decreto para tentar fazer ajustes.
Na segunda-feira, após participar de reunião para debater o fim da vigência da Medida Provisória 808, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, que o governo irá regulamentar pontos da reforma trabalhista por decreto. Ele notou, porém, que ainda não há data para a edição do texto. Marun também destacou nesta terça que não há previsão para que o decreto seja editado
Marun disse ainda que o líder do governo no Senado, senador Romero Jucá, está trabalhando junto aos colegas para buscar uma solução em relação a situações que haviam sido acordadas com o Senado. "Urgente tudo é, mas tendo caducado a MP que enviamos, o governo trata essa questão agora com cuidado até superior", afirmou.