Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 07 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

investimentos

Alterada em 07/04 às 09h18min

Investimento chinês na América Latina é recorde

A China avançou em seus planos de aquisição na América Latina e, em 2017, destinou volume recorde de recursos para comprar empresas e ações na região. No total, US$ 17,5 bilhões foram gastos pelos chineses no continente para aquisições. Pequim já representa um terço de todas as aquisições nas economias latino-americanas.
Os dados foram compilados pela Global Development Policy Center, entidade da Universidade de Boston (EUA). A análise aponta para participação cada vez maior da China na economia regional num momento em que o governo americano prolifera ameaças a parceiros
A situação contrasta com o comportamento de Pequim. Em apenas três anos, o presidente chinês esteve na América Latina três vezes. Em dez anos, US$ 71 bilhões foram gastos pelos chineses para garantir aquisições de empresas no continente. De acordo com os autores do informe, "eletricidade se transformou num dos principais itens de compras de chineses nos últimos anos, superando a aquisições no setor de extração".
A maior dessas compras ocorreu no Brasil, quando a Grid Corp. adquiriu 95% da CPFL Energia SA, por US$ 12,2 bilhões. Outros US$ 2,3 bilhões foram gastos pela Power Investment Corp. para comprar a hidrelétrica de São Simão.
Entre 2016 e 2017, a região elevou suas exportações de US$ 84 bilhões para US$ 104 bilhões para a China. "Hoje, a China compra mais de um quarto de toda a exportação de produtos extração da América Latina", constata o estudo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia