Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 04/04 às 15h53min

Ouro sobe, favorecido por temor com tarifação da China a produtos dos EUA

O ouro fechou em ligeira alta na sessão desta quarta-feira, favorecido por mais um episódio no enredo de disputa comercial entre os Estados Unidos e a China. Neste cenário, investidores tendem a migrar para ativos considerados seguros, a exemplo do metal amarelo.
Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato futuro de ouro para maio fechou em alta de US$ 2,90 (+0,22%), a US$ 1.340,20 a onça-troy.
Na madrugada desta quarta-feira, a China anunciou que aplicará uma tarifação de 25% sobre US$ 50 bilhões em produtos dos EUA, incluindo soja, carros e químicos, em resposta a medida semelhante tomada pela Casa Branca.
Sobre a perspectiva para o ouro no futuro próximo, o Commerzbank cita em relatório a clientes uma estimativa da empresa de pesquisa Metals Focus de que a demanda pelo metal amarelo "vai crescer apenas 1%, para 3.969 toneladas neste ano".
"(A Metals Focus) projeta que um investimento algo maior e a demanda para joias e a indústria serão compensados por um declínio notável da demanda por ouro de bancos centrais", escreve o banco alemão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia