Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

combustíveis

02/04/2018 - 19h33min. Alterada em 02/04 às 19h37min

São Gabriel registra o maior valor do litro de etanol no Brasil

O Rio Grande do sul segue com o meio preço pelo litro do etanol no Brasil. O levantamento foi realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A cidade de São Gabriel registou o valor de R$ 4,739 por litro. Enquanto que Guaíba apresentou o preço mais baixo no Estado a R$ 3,360. Já Gravataí registra o menor preço médio a R$ 3,740.
O Rio Grande do sul segue com o meio preço pelo litro do etanol no Brasil. O levantamento foi realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A cidade de São Gabriel registou o valor de R$ 4,739 por litro. Enquanto que Guaíba apresentou o preço mais baixo no Estado a R$ 3,360. Já Gravataí registra o menor preço médio a R$ 3,740.

O levantamento no resto do País

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros subiram em 19 Estados brasileiros na semana passada, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Em apenas seis Estados e no Distrito Federal houve recuo e no Amapá os preços permaneceram estáveis.
Em São Paulo, principal estado produtor e consumidor, a cotação média do hidratado apresentou leve baixa de 0,03% ante a semana anterior, de R$ 2,873 para R$ 2,872 o litro. No período de um mês, os preços do combustível recuaram 0,49% nos postos paulistas. A maior alta no preço do biocombustível na semana passada, de 7,41%, foi em Mato Grosso. A maior baixa semanal, de 0,95%, ocorreu no Maranhão. Na média dos postos brasileiros pesquisados pela ANP houve reajuste de 0,49% no preço do etanol na semana passada.
Além de São Paulo, no período de um mês os preços do etanol recuaram apenas no Espírito Santo e no Rio de Janeiro. O destaque de alta mensal foi Mato Grosso, com 9,16% no período. Na média brasileira o preço do etanol pesquisado pela ANP acumulou alta de 0,69% na comparação mensal.
Mesmo com a disparada da semana passada, o preço mínimo registrado no período para o etanol em um posto foi em Mato Grosso, de R$ 2,377 o litro, e o máximo individual foi de R$ 4,739 o litro, no Rio Grande do Sul. O menor preço médio estadual foi de R$ 2,813 o litro, também em Mato Grosso.
O valor médio da gasolina nos postos brasileiros subiu em 14 Estados na semana passada, segundo dados da ANP, compilados pelo AE-Taxas. Em outros 12 Estados e no Distrito Federal houve queda nos preços médios do combustível de petróleo.
Na média nacional, subiram 0,05% os preços médios entre as semanas, de R$ 4,198 para R$ 4,200. Em São Paulo, maior consumidor do País e com mais postos pesquisados, o litro da gasolina aumentou 0,10% na semana passada, de R$ 3,988 para R$ 3,992, em média. No Rio de Janeiro, o combustível saiu de R$ 4,694 para R$ 4,676, em média, recuo de 0,38%. Em Minas Gerais houve alta no preço médio da gasolina de 0,43%, de R$ 4,445 para R$ 4,464 o litro.
Os preços médios do etanol hidratado são vantajosos sobre os da gasolina somente em postos do Estado de Mato Grosso. Com a alta de 2,65% na semana passada, o etanol perdeu a competitividade econômica em Goiás, segundo dados da ANP, compilados pelo AE-Taxas. O levantamento considera que o combustível de cana, com menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso.
Em Mato Grosso, o biocombustível é vendido, em média, por 66,53% do preço da gasolina. Em Goiás a paridade passou de 68,53% para 70,18%. São Paulo, onde o etanol vale, em média, 71,94% do preço da gasolina, é o Estado onde o limite de paridade desfavorável entre o etanol e o combustível de petróleo está mais próximo dos 70%.
A gasolina é mais vantajosa no Amapá. Naquele Estado, o preço do etanol atinge 96% do cobrado em média pela gasolina.