Porto Alegre, domingo, 15 de março de 2020.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

02/04/2018 - 17h39min. Alterada em 02/04 às 17h38min

Juros encerram sessão regular em leve alta com cautela externa e doméstica

Os juros futuros encerraram a sessão regular desta segunda-feira com viés de alta nos contratos principais, sendo que os vencimentos mais longos registraram avanço um pouco mais acentuado. Segundo profissionais da renda fixa, o dia é de cautela no segmento.
Os juros futuros encerraram a sessão regular desta segunda-feira com viés de alta nos contratos principais, sendo que os vencimentos mais longos registraram avanço um pouco mais acentuado. Segundo profissionais da renda fixa, o dia é de cautela no segmento.
O noticiário político doméstico conturbado e as preocupações com a cena externa elevaram a tensão no mercado. A incerteza sobre o resultado do julgamento na quarta-feira do habeas corpus, pedido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preocupa o investidor, que ainda espera os desdobramentos da operação que levou à prisão temporária amigos do presidente Michel Temer (MDB).
O noticiário internacional, em que a revanche da China contra os ataques do presidente americano Donald Trump foi o destaque do dia, completam a cena e aumentam o receio do investidor de manter posição de maior risco.
O DI para janeiro de 2019 fechou a 6,225% ante 6,219% no ajuste de quinta-feira. O DI para janeiro de 2020 encerrou a 7,070% ante 7,031% no ajuste de quinta-feira. O DI para janeiro de 2021 fechou a 8,030% ante 7,962% no ajuste de quinta-feira. O DI para janeiro de 2023 encerrou a 9,00% ante 8,962% no ajuste de quinta-feira.
Como ressaltou o estrategista de renda fixa da Coinvalores, Paulo Nepomuceno, a expectativa de inflação controlada e de Selic baixa contribui para que a alta dos juros seja limitada. "Por muito menos em termos de acontecimentos políticos e externos, os juros já subiram muito mais", diz o estrategista.
Vale destacar que, mais uma vez, a projeção mediana para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi reduzida na edição desta segunda-feira do Relatório de Mercado Focus (de 3,57% para 3,54%).