Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 29 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 30/04/2018. Alterada em 29/04 às 19h16min

Frases e personagens

Valter Nagelstein (PMDB), presidente da Câmara Municipal

Valter Nagelstein (PMDB), presidente da Câmara Municipal


fotos: LUIZA PRADO/JC
"Não recorrerei da decisão do Tribunal de Justiça que, em segunda instância, por quatro votos a um, declarou inválida a lei municipal de autoria do então vereador Pedro Ruas e da vereadora Fernanda Melchionna, ambos do PSOL. A mudança aconteceu em 2014 e alterou o nome da avenida Castelo Branco para Avenida da Legalidade." Valter Nagelstein (PMDB), presidente da Câmara Municipal.
"Os projetos do prefeito Marchezan (PSDB) não apresentam novidades. Toda doença merece um tratamento. Acho que o prefeito está trazendo o remédio e a dosagem errados para a cidade, que está doente. O prefeito deveria disponibilizar um aplicativo no qual se possa calcular o IPTU, para que seja possível ao cidadão verificar se haverá aumento ou não do seu imposto." Claudio Janta (SD), vereador de Porto Alegre.
"A Fundação Pão dos Pobres faz um trabalho fantástico, que envolve milhares de crianças e adolescentes em vulnerabilidade social." José Fortunati (PSB), ex-prefeito de Porto Alegre.
"O governo discute uma forma de deixar a composição das tarifas de energia mais claras para o consumidor. A sociedade precisa saber a composição do preço das tarifas de energia. Estados chegam a cobrar 35% (de ICMS). Precisamos saber qual a razão, se é justo ou não." Moreira Franco (PMDB), ministro de Minas e Energia.
"O Banco Central (BC) tem hoje autonomia de fato, mas o que é de fato precisa entrar na lei. Uma vez que a autonomia entre na lei, há redução do custo Brasil e do prêmio de risco, da taxa de juros. Isso beneficia sociedade." Ilan Goldfajn, presidente do Banco Central.
"Tivemos em 2017 a queda da inflação, a baixa dos juros e a recuperação da economia. Implementamos a TLP, a reforma trabalhista, a reforma do Ensino Médio e o teto de gastos. E para a taxa de juros ficar baixa, a inflação tem que ficar baixa. E para a inflação ficar baixa, precisamos continuar as reformas e os ajustes. Se isso acontecer, a economia brasileira terá uma mudança importante." Também Ilan Goldfajn.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia