Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Direitos Humanos

16/03/2018 - 13h30min. Alterada em 16/03 às 13h31min

PF abre inquérito para investigar munições que mataram Marielle

Polícias Federal e Civil vão trabalhar no rastreamento das cápsulas usadas no homicídio de Marielle

Polícias Federal e Civil vão trabalhar no rastreamento das cápsulas usadas no homicídio de Marielle


MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL/JC
A Polícia Federal (PF) instaurou um inquérito nesta sexta-feira (16) sobre as cápsulas das armas usadas no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ). Marielle foi assassinada na noite de quarta-feira (14) após reunião com grupo de mulheres negras na Lapa, na região central do Rio. Os assassinos alvejaram quatro vezes o rosto da parlamentar. Outras três balas mataram o motorista dela, Anderson Pedro Gomes.
A Perícia da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio, divulgada pela TV Globo, concluiu que lotes das cápsulas foram vendidos à Polícia Federal em dezembro de 2006. A PF informou que, "além da investigação conduzida pela Polícia Civil pelo crime de homicídio, já foi instaurado inquérito no âmbito da Polícia Federal para apurar a origem das munições e as circunstâncias envolvendo as cápsulas encontradas no local do crime".
"A Polícia Federal no Estado do Rio de Janeiro e a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro reiteram o seu compromisso de trabalhar em conjunto para a elucidação de todos os fatos envolvendo os homicídios da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Pedro Gomes, ocorrido na noite da última quarta-feira, no Rio de Janeiro", completou a PF em nota.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia